quinta-feira, 25 de Junho de 2015 13:07h Pollyanna Martins

Jovem morre em acidente de moto e família pede justiça

John Lennon estava em uma moto quando foi atingido por um carro. Os quatro ocupantes do veículo fugiram sem prestar socorro

A família do jovem John Lennon Venceslau da Paixão, que morreu na última sexta-feira (19), quer justiça. O jovem ia para casa de moto quando foi atingido por um Palio, na Rua Ayrton Senna, no bairro Santa Rosa. A vítima chegou a ser socorrida, mas não resistiu aos ferimentos e morreu logo após dar entrada na Unidade de Pronto Atendimento Padre Roberto (UPA 24h). O motorista do veículo fugiu do local sem prestar socorro ao jovem.
Com o impacto da batida, a roda veículo ficou danificada. Testemunhas relataram que os ocupantes do carro tentaram ligar o automóvel, porém não conseguiram, e fugiram a pé. Segundo a irmã da vítima, Gabriela Venceslau da Paixão, no carro que atropelou John Lennon estavam quatro pessoas, entre elas uma jovem que conhecia a vítima e também abandonou o veículo. “Eles tentaram ligar o carro, mas aí não funcionou mais, e eles fugiram a pé. Depois a esposa do John descobriu que uma das pessoas que estava dentro do carro era a Aline, uma amiga nossa, que foi no velório e no enterro do meu irmão”, conta.
Indignados com a situação, os familiares de John vão realizar uma manifestação hoje, na Praça do Santuário, após a missa de 7º dia do jovem para pedir que os responsáveis pelo acidente sejam punidos. A avó do jovem, Nilza da Paixão, conta com o orgulho que o neto estava construindo uma casa para morar com a esposa, e que pouco antes do acidente ele foi à sua casa, como fazia todos os dias. “Ele veio aqui era por volta das 18h e na hora de ir embora gritou como sempre gritava ‘tchau Vó, fica com Deus’. Hoje eu estou triste demais, eu o criei desde pequeno. Não ficava um dia sem passar aqui. Nós queremos justiça. Eles fazem o que querem e não vão presos”, frisa. A missa de 7º dia de John Lennon está marcada para as 19h.
No boletim de ocorrência consta ainda que os policiais militares foram até a casa do suspeito, João Paulo Moreira dos Santos, no bairro Maria Helena, pois foram encontrados vários documentos dele no carro, porém não havia ninguém na residência. O veículo e a moto foram apreendidos e encaminhados para o pátio credenciado.

 

DELEGADO
Segundo o delegado Gildeilson Almeida, o advogado do suspeito foi até a delegacia e colocou o seu cliente à disposição para prestar depoimento. Ainda de acordo com o delegado, o inquérito foi instaurado e o suspeito deve ser ouvido nos próximos dias. Almeida também informou que João Paulo deve ser indiciado por homicídio culposo (quando não há intenção de matar) com o agravante de omissão de socorro. “A princípio ele pode responder tanto por homicídio culposo com omissão de socorro, e pode responder por homicídio doloso, desde que fique provado, por exemplo, que ele estava embriago no momento do acidente”, explica.
Quanto aos outros ocupantes do carro, o delegado esclarece que caso fique provado durante as investigações a participação efetiva deles no crime, cada um irá responder de acordo com o seu grau de culpa. “Se ficar provado que as outras três pessoas contribuíram para o homicídio culposo ou o doloso, todos vão responder na medida e probabilidade de cada um”, conclui.

 

Crédito: Arquivo Pessoal

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.