sábado, 24 de Novembro de 2012 04:12h Luciano Eurides

Juiz libera realização da Parada Gay e LGBT

Deferido pelo Juiz da Vara de Fazenda Pública, Núbio Parreiras, o primeiro Mandado de Segurança Preventivo impetrado no Estado e no Brasil para a manifestação social de uma Parada Gay no município de Divinópolis. Desde 2011 que o movimento vem sofrendo com burocracias impostas pelo Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, sendo exigido um alvará para a realização da passeata que ocorria anualmente na avenida 1° de Junho no centro de Divinópolis. Para este ano o MGD transferiu a Parada Gay para a avenida Pitangui no bairro Bom Pastor, onde tem sido palco de diversos eventos no decorrer do ano.

 


Já prevendo as questões burocráticas que envolveria a realização do movimento social, a diretoria do MGD entrou com o Mandado de Segurança Preventivo na Vara de fazenda Pública, para que conseguisse realizar com êxito o evento. Na tarde de sexta-feira (23), o juiz Núbio Parreiras deferiu a liminar como válida, ou seja, o que permite a associação de realizar normalmente o evento marcado para domingo (25).

 


De acordo com o coordenador Adam Pitter, a manifestação é legitima e conforme a avaliação do juiz, não há necessidade de apresentar qualquer autorização do Corpo de Bombeiros para um manifesto social em via pública. “A própria Constituição Federal assegura que é permitida toda e qualquer manifestação em local aberto, independente ou não de ter carro de som ou trio elétrico. O som também é um direito de manifestar e expressar. Vejo essa solicitação dos Bombeiros como uma maneira arbitrária de tentar no impedir”, frisou Pitter.

 


Aproveitando o deferimento do juiz, o presidente do MGD, José Marcelo Davi espera que a parada gay atinja um público de aproximadamente 20 mil pessoas, o que supera as expectativas de 2011 que contou com 15 mil visitantes, e convida a toda população à participar da festa realizada na avenida Pitangui neste domingo.

 

BOMBEIROS

 


Conforme a legislação o prazo para apresentação do projeto do evento considerando o processo de análise do Corpo de Bombeiros é de 10 dias. Porém a associação teria entrado com pedido faltando seis dias para a realização do evento, o que dificultou a corporação militar de ter tempo hábil para as vistorias e analises. Entretanto, após a analise do juiz Núbio Parreiras, sob a diretriz de que não haveria motivo para a interdição do evento, o comando da 10ª Batalhão de Bombeiros de Minas Gerais se predispôs a analisar o projeto fora do horário de expediente. “Iremos fazer a vistoria e emitir o documento: ‘Auto de Vistoria’, e após este processo o evento estará liberado. Acredito que se o presidente do movimento apresentar o projeto, conseguiremos fazer o trabalho a tempo”, avaliou o Tenente Carlos Henrique Viana da assessoria de comunicação do 10ºBBMG.  

    


TROFÉU MGD CIDADANIA

 


Na última quinta-feira (22) foi promovido o troféu ‘MGD de Cidadania’ onde foram agraciadas entidades, personalidades e apoiadores da luta contra homofobia. O repórter da Gazeta do Oeste Luciano Eurides foi um dos agraciado com a comenda, devido a suas matérias, coberturas e espaço cedido na imprensa ao movimento. “O tema desse ano "Divinópolis Centenária, abraçando a diversidade" ainda aumenta a responsabilidade de nós (agraciados) e formadores de opinião, no desejo de criarmos uma sociedade justa e humanitária. Agradeço a diretoria do MGD, a Gazeta do Oeste (G37), Rádios Divinópolis e Candidés, e mais recentemente a todo Sistema MPA de comunicação, o qual me acolhe e permite as lutas por um mundo mais justo e igualitário”, comentou Eurides.

 


A madrinha do movimento e parlamentar Heloisa Cerri (PV) que também foi homenageada, relembrou a fundação do Movimento Gay de Divinópolis, “já são sete anos de existência do movimento gay, e os vejo como uma associação que faz valer os seus direitos. È absurda a discriminação e preconceito deste movimento, ou sobre qualquer outro movimento ou pessoa. E me sinto muito honrada de ser a madrinha deles e ver que o movimento caminhou sozinho no decorrer destes anos”, afirmou Cerri.

 


O primeiro presidente do MGD, Baltazar Sousa também foi homenageado e se disse muito feliz em ver o crescimento do movimento. “Hoje o MGD é uma ONG bem ampla e fico feliz por vê-los crescer e continuar dando certo”, finalizou Sousa.

 


O atual do MGD, José Marcelo Davi argumentou que o troféu além de homenagear os agraciados, é também o lançamento da Parada Gay e LGBT de Divinópolis.

Leia Também

Imagem principal

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.