sábado, 16 de Abril de 2016 10:13h Prefeitura de Divinópolis

Justiça determina volta ao trabalho de servidores da saúde

O Prefeito de Divinópolis, Vladimir Azevedo, concedeu uma entrevista coletiva na tarde desta sexta-feira (15/04) para atualizar as informações referentes ao movimento grevista

No encontro, Vladimir destacou sobre a liminar concedida pela justiça pedindo a volta ao trabalho dos servidores da saúde. 

O desembargador Afrânio Vilela do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) acatou parcialmente a liminar de suspensão da greve pedida pela Prefeitura de Divinópolis. O magistrado determinou que os servidores da saúde retornem imediatamente ao trabalho. A decisão publicada nesta sexta-feira (15/04) baseou-se no fechamento integral de três unidades de saúde e parcialmente de outras duas, além do decreto de emergência da dengue. Na opinião do prefeito, a liminar determinando a volta dos servidores da saúde é um ganho para o atendimento, principalmente, da vacinação da H1N1. “A liminar saiu nesta tarde acatando nosso pleito e determinando imediato o retorno dos servidores da saúde ao trabalho. Amanhã (16/04) tem vacinação da H1N1 e todos sabem da responsabilidade. A saúde precisa voltar ao contrário terá multa de R$ 50 mil por mês”, lembrou.

Sobre a proposta de aumento salarial e do vale transporte, o prefeito explicou que foi construída numa reunião de quatro horas na terça-feira (11/04) representantes do Sindicato dos Trabalhadores Municipais de Divinópolis e Região Centro-Oeste e o Sindicato dos Trabalhadores da Educação Municipal de Divinópolis (Sintemd). A proposta de aumento do vale-refeição de R$ 7 para R$ 12 até dezembro foi debatida com os representantes dos sindicatos. “Fizemos uma construção de uma proposta na mesa com a presença dos sindicatos numa reunião de quase quatro horas para alguma composição. No primeiro momento focamos no vale-refeição porque não teve nenhum reajuste nos últimos anos. É uma maneira de resgatar uma dívida que tenho com os servidores em termos de recomposição. Construímos proposta para um aumento de 71%, que foi a proposta dos sindicatos”, destacou.

Sobre o aumento salarial, Vladimir Azevedo confirmou que foi construído o percentual de 3% também com a participação dos sindicatos. “Não chequei com nada pronto para mesa e novamente debatemos a proposta. Chegamos neste formado de 3% dividimos em duas vezes”, afirmou.

 

 

 

Negociação

Vladimir Azevedo comentou sobre o momento certo de negociar com servidores.   “Fizemos o ofício, depois recebemos a informação que não aceitaram e voltou o impasse. O maior argumento que o Prefeito não sentava com o sindicato, foi superado e é claro que seria superado. A Câmara de Vereadores também entendeu que precisa seguir a vida e destrancou a pauta e votou alguns projetos”, disse.

Sobre a invasão de um grupo a prefeitura, Vladimir repudiou e confirmou medidas criminais. “De 10 a 20 pessoas, que desonraram os servidores invadiram sua própria casa. Ameaçaram os próprios colegas de trabalho e fizeram ameaças que dias piores virão. Lamentamos o ocorrido e reagiremos tudo que for cabível na esfera criminal. Já estão em fase de identificação todos os que invadiram o prédio e constrangeram colegas e contribuintes. São medidas policiais, criminais e administrativas”, alertou.

No final do encontro com os jornalistas, o prefeito pediu para o servidor grevista voltar ao trabalho para evitar prejuízo.  “Quero conclamar o servidor para voltar ao trabalho para não termos mais prejuízo recíprocos. Hoje estão todos perdendo e queremos que todos ganhem”, disse.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.