sábado, 28 de Abril de 2012 08:29h Atualizado em 28 de Abril de 2012 às 08:36h. Daniel Michelini e Marina Alves

Lotes vagos abandonados no centro

Moradores da região central da cidade têm reclamado constantemente do abandono de áreas, causando mau cheiro e focos de doenças. Na Rua São João (foto) e na Rua Itapecerica a situação se repete. Um grande matagal e até um caminhão-pipa são vistos nos lote

Dois lotes abandonados na região central da cidade têm sido motivo de transtorno para moradores dos locais. Na Rua São João, no centro da cidade, o caso é considerado preocupante pelos moradores da estreita via situada perto da Delegacia de Polícia Civil. Segundo eles, a área nunca foi restaurada, causando mau cheiro e incomodando quem mora e passa pelo local. O lote é cercado por muro e arame farpado, o que dificulta a entrada das pessoas para tentar resolver o problema. Segundo uma moradora que pediu para não ser identificada, a principal preocupação é com a quantidade de lixo que há dentro do imóvel. De acordo com ela, já foram identificados focos de dengue devido ao entulho encontrado no lote, e moradores próximos chegaram a contrair a doença. Devido à chuva que ocorreu na madrugada dessa sexta-feira (27), a moradora diz que a situação ficou mais grave, já que é possível ver vários pneus jogados no local.
Além do matagal e de grande quantidade de lixo, uma coisa inusitada é possível ser observada no lote: a presença de um caminhão-pipa que, segundo a moradora, está lá dentro já há um bom tempo: “Está muito ruim a situação aqui. O dono do lote nunca apareceu para dar nenhuma satisfação para nós”. Ela afirma ainda que os residentes da região já procuraram a prefeitura municipal e a vigilância sanitária para tentar acabar com o problema. Porém não obtiveram respostas dos órgãos públicos. Segundo uma outra moradora do bairro, o mau cheiro provocado pelo entulho incomoda bastante: “Eu moro e trabalho quase em frente ao lote, e esse odor é muito desconfortável. Espanta até meus clientes”, disse.

Rua Itapecerica

Já na Rua Itapecerica, próximo a Rua Maranhão, os lotes vagos tem causado incômodos a população que reside no entorno do local. Nos dois lotes, há mato alto e sujeira. As pessoas que residem ali reclamam também do grande número de mosquitos na região, que em épocas de chuva podem causar danos maiores, como um aumento no risco de incidência de casos de dengue, pois o lote vago é propriedade particular e não está sendo capinado pelo proprietário, de acordo com informações passadas pelos moradores do local.
Em algumas áreas ao redor do lote vago, foi feita a dedetização, para minimizar os danos causados pelos insetos que vem incomodando os moradores. A vigilância sanitária já esteve no local, e já foram feitas notificações ao dono do imóvel.
Próximo a área onde está situado o lote vago, há uma escola infantil, que atende crianças de 6 meses a 3 anos de idade.

Leia Também

Imagem principal

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.