quinta-feira, 20 de Agosto de 2015 10:29h Atualizado em 20 de Agosto de 2015 às 10:37h. Jotha Lee

Maioria dos contribuintes pagou IPTU à vista esse ano

Inadimplência no pagamento do tributo não passa de 16,5%

Nos primeiros sete meses desse ano entraram para os cofres da Prefeitura R$ 62,4 milhões referentes à receita tributária, onde estão incluídos os juros e taxas cobrados pelo município. Somente em impostos foram arrecadados até o final de julho R$ 49,5 milhões. O maior valor arrecadado veio com o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), que contribuiu com R$ 18,5 milhões na arrecadação. Em seguida aparece o Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISSQN), que entrou com R$ 18,4 milhões, seguindo-se o Imposto Sobre Renda e Proventos de Qualquer Natureza, com R$ 7,8 milhões. Com o Imposto de Transmissão de Bens Imóveis Inter-Vivos  (ITBI), o município arrecadou R$ 5 milhões nos primeiros sete meses do ano.
Esse bom desempenho na arrecadação do IPTU, se deve à adesão do contribuinte ao pagamento à vista. Segundo Fernando Ferreira da Silva, diretor de Arrecadação e Tributos, esse ano 55% dos contribuintes pagaram o tributo à vista. Segundo ele, em Divinópolis a inadimplência no pagamento do IPTU está em queda. “No ISS a gente tem conseguido um acréscimo em relação ao ano passado e no IPTU a gente tem uma inadimplência pequena, que é de 16,5%. Nós assumimos a administração com uma inadimplência [no IPTU] em torno de 24%., mas hoje a gente tem a grata satisfação de anunciar que a Prefeitura arrecada em torno de 83,5% do IPTU lançado no exercício”, comemora.
Para Fernando Ferreira, o município tem criado mecanismos para atrair o consumidor a pagar á vista. “Essa baixa na inadimplência e na preferência pelo pagamento à vista se deve aos programas que a Prefeitura vem fazendo, como o ‘IPTU dá Prêmios’, e os descontos que são atrativos”, esclarece.
TAXAS
Com as taxas públicas que são cobradas na prestação de vários serviços, a Prefeitura arrecadou R$ 12,8 milhões. Somente com o estacionamento rotativo entraram para os cofres do município de janeiro a julho R$ 927,1 mil.  Esse serviço deverá ser terceirizado até o ano e as regras para a entrega do rotativo para a iniciativa privada já foram aprovadas pela Câmara Municipal. A previsão orçamentária é de que até o final do ano a cobrança pelo estacionamento deva render mais de R$ 1,6 milhão. Com a aplicação de multas de trânsito, de janeiro até ontem o município arrecadou R$ 1,077 milhão.
Embora a arrecadação esteja abaixo da previsão, o secretário de Fazenda Antônio Castelo diz que a situação se assemelha ao ano passado e garantir que 70% dos municípios enfrentam o problema. “Nós estamos até numa situação privilegiada. Claro que estamos fazendo nosso dever de casa, mas todo tanto que é feito ainda há dificuldade, pelo repasse do governo estadual e governo federal que não tem vindo a contento”, garante.

 

Crédito: Jotha Lee

Leia Também

Imagem principal

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.