sábado, 2 de Agosto de 2014 06:48h

Mais 824 casas populares serão construídas em Itaúna

Processo está em fase de conclusão, tendo sido aprovado em todas as etapas técnicas

A construção de 824 casas pelo programa “Minha Casa, Minha Vida”, em parceria entre o Governo Federal e o Governo de Itaúna está cada vez mais perto de tornar-se realidade. O projeto está sendo trabalhado pelo Governo Municipal desde julho do ano passado, após a entrega das 440 casas do bairro Santa Edwiges. Todas as etapas técnicas foram aprovadas em todas as instâncias, sendo a última a aprovação do projeto pelo Codema (Conselho de Defesa do Meio Ambiente). Para o início das obras e do processo de cadastramento das famílias falta apenas a chancela do Ministério das Cidades.
As residências, que serão dividas em blocos de apartamentos, serão construídas na região do Barreiro, próximo ao bairro Itaunense, na antiga estrada que ligava Itaúna a Divinópolis. Além de área reservada para a construção de um Posto de Saúde da Família, área de lazer e outras comodidades o Residencial Barreiro terá Escola e Creche, que serão construídos e disponibilizados desde a inauguração.

 

 

 

 

 

Meio Ambiente preservado
A construção das unidades habitacionais obedecerá a todas as leis e critérios ambientais sendo todas as condicionantes apresentadas pelos conselheiros do Codema acatadas pela empresa que venceu a licitação para a execução do projeto. Nascentes serão cercadas, áreas verdes e de Preservação Ambiental preservadas, 824 árvores de espécies diversas serão plantadas (uma para cada residência construída). Além da área de preservação exigida por lei, duas outras áreas foram destinadas para serem protegidas como áreas verdes dentre outras garantias ambientais, como a drenagem das águas pluviais do terreno acima, que será protegido. Todas as nascentes localizadas no terreno serão cercadas e protegidas.
“Além do lado social, do resgate de autoestima da população de conquistar a casa própria, é importante ser destacado que estas residências serão construídas em uma área bonita, rica ambientalmente falando e o principal, que será preservada”, afirma a Diretora de Meio Ambiente da Secretaria de Urbanismo e Meio Ambiente, Laís Fonseca. De acordo com a Diretora a preservação de três áreas verdes (duas além do exigido em Lei) garante aos moradores um ganho paisagístico e de qualidade de vida.

 

 

 

 

 

Projeto urbanístico e arquitetônico

O projeto é bem detalhado e discutido de acordo com as necessidades e regulamentos a serem seguidos. O mesmo terá duas áreas de lazer, com Centro Social, Playground e quadra de peteca, Escola com seis salas de aula, Escola do Programa do Governo Federal Proinfância, tipo B. Todos estes projetos estão incluídos na execução do empreendimento juntamente com as 824 unidades habitacionais.
O projeto urbanístico do Residencial Barreiro conta com uma Avenida de eixo principal que se desenvolve ao longo do empreendimento que terá mais de 13 mil metros quadrados de áreas institucionais, mais de seis mil metros quadrados de áreas verdes, além de 97 mil metros quadrados de áreas de Preservação Permanente e de Reserva Legal, que serão protegidas conforme Legislação.
 

 

 

 

Inscrições
As inscrições das famílias para se candidatarem a uma unidade habitacional somente será efetuada após a liberação final do projeto pelo Ministério das Cidades. Será feita ampla divulgação via jornais, internet, rádio e TV quando as inscrições estiverem abertas. “Não adianta procurar a Prefeitura agora, pois não estamos com inscrições abertas. Somente vamos iniciar o cadastro das famílias depois de todo o processo finalizado e da liberação pelo Ministério das Cidades”, afirmou o Secretário de Assistência Social, Raimundo Bernardes.
                                                       

 

 

Dados do Residencial Barreiro
•824 unidades habitacionais
•Escola com seis salas de aula
•Creche Proinfância tipo B
•Centro Social
•Playground
•Quadra de Peteca
•13 mil metros quadrados de áreas institucionais
•Mais de seis mil metros quadrados de Áreas Verdes
•97 mil metros quadrados de Áreas de Preservação Permanente e de Reserva Legal

 

 

 

Crédito: Divulgação PMI

Leia Também

Imagem principal

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.