quarta-feira, 16 de Março de 2016 10:15h Atualizado em 16 de Março de 2016 às 10:17h. Pollyanna Martins

Mais de três mil contribuintes já declararam o Imposto de Renda de Pessoa Física em Divinópolis

É esperada a entrega de mais de 33 mil declarações este ano na cidade

Mais de três mil contribuintes já declararam o Imposto de Renda de Pessoa Física (IRPF) em Divinópolis. De acordo com o último balanço divulgado pela Delegacia da Receita Federal de Divinópolis, até domingo, 3.996 contribuintes já haviam emitido a declaração do IRPF. Segundo o delegado da Receita Federal/DIV, Marcos Paulo Pereira Milagres, neste ano, é esperado a entrega de mais de 33 mil declarações na cidade. O prazo para a entrega da declaração termina no dia 29 de abril.

 

 


Estão obrigados a declarar o imposto de renda: quem obteve rendimentos tributáveis superiores a R$ 28.123,91; quem teve rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma foi superior a R$ 40 mil; quem obteve, em qualquer mês, ganho na alienação de bens ou direitos, sujeito à incidência do imposto, ou realizou operações de bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas; quem obteve receita bruta na atividade rural em valor superior a R$ 140.619,55 e quem teve, em 31 de dezembro de 2015, a posse ou a propriedade de bens ou direitos, inclusive terra nua, de valor superior a R$ 300 mil.

 

 


São esperadas aproximadamente 170 mil declarações em toda jurisdição. A Delegacia da Receita Federal em Divinópolis (DRF/DIV) conta com sete agências jurisdicionadas, em Oliveira, Itaúna, Pará de Minas, Formiga, Campo Belo, Passos e Bom Despacho. Em toda jurisdição já foram entregues mais de 12 mil declarações. De acordo com o delegado da DRF/DIV, quem não declarar o imposto de renda dentro do prazo estará sujeito à multa de 1% ao mês-calendário ou fração de atraso, calculado sobre o imposto devido, com valor mínimo de R$ 165,74. “Quem estiver em atraso deve fazer a entrega da declaração, porque a Receita Federal poderá apurar mesmo sem a declaração o montante do imposto devido, e ainda cobrá-lo com multa de ofício pela não entrega da declaração”, explica.

 

 


MALHA FINA
De acordo com o auditor fiscal da DRF/DIV, Antônio Amarildo Soares, “cairá” na malha fina o contribuinte que declarar informações que não correspondem à verdade; errar o preenchimento da declaração; e, por último, colocar valores atípicos na declaração. O auditor explica que a Receita Federal tem uma série de fontes de informações, onde são feitas comparações da declaração do contribuinte com as informações do sistema. “Encontrando divergências, o contribuinte incide em malha fiscal. É importante lembrar que informações mentirosas constituem o crime de sonegação, colocando o contribuinte sujeito a penalidades, e sujeito também à cobrança de uma multa de 150% do valor do imposto devido”, ressalta.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.