domingo, 2 de Outubro de 2016 19:58h Agência Brasil

Manaus terá segundo turno entre Artur Virgílio Neto e Marcelo Ramos

A disputa para a prefeitura de Manaus seguirá para o segundo turno. Com 92% das urnas apuradas, os candidatos Artur Virgílio Neto (PSDB) e Marcelo Ramos (PR) já estão confirmados na segunda etapa das eleições

Artur Neto conquistou, até o momento, 35,28% dos votos válidos, enquanto Marcelo Ramos ficou em segundo lugar, com 24,81% dos votos válidos. Silas Câmara (PRB) ficou em terceiro, com 11,02% do total apurado.

Candidato do PSDB, Artur Neto tem 70 anos, nasceu em Manaus e é o atual prefeito da cidade. Nacionalmente, é mais conhecido como Artur Virgílio, sobrenome herdado do avô. Foi deputado federal pela primeira vez em 1983, começando uma longa história no Congresso Nacional. Após o primeiro mandato, voltou à Câmara em 1995, onde cumpriu dois mandatos consecutivos. Lá, tornou-se um dos líderes do governo Fernando Henrique Cardoso e chegou a ocupar o cargo de ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República.

 Após deixar a Câmara, foi eleito senador. Deixou uma Casa Legislativa no dia 31 de janeiro de 2003 e assumiu na outra do dia seguinte. No Senado, tornou-se um dos principais líderes da oposição ao governo Lula.

Seu mandato de senador terminou em janeiro de 2011. Tentou a reeleição no pleito de 2010, mas perdeu para Eduardo Braga (PMDB) e Vanessa Grazziotin (PCdoB). Diplomata de carreira, voltou ao Itamaraty em 2011. Em 2012 foi eleito prefeito de Manaus, em novo embate com Vanessa Grazziotin, do qual saiu, desta vez, vitorioso. Tenta a reeleição. Chegou a se candidatar ao governo do Amazonas duas vezes, em 1986 e 2006, mas foi derrotado em ambas.

Marcelo Ramos é advogado formado pela Universidade Federal do Amazonas (Ufam). Nascido em Manaus, tem 43 anos e é professor universitário especializado em Direito Trabalhista. Tenta pela primeira vez a prefeitura de Manaus. Candidato pelo PR, Ramos concorre por meio da coligação Mudança Para Transformar (PR / PT do B / PTC / PEN / PSD / PROS / DEM).

Iniciou seu contato com a política ainda no colégio, ao presidir o grêmio estudantil e, já na faculdade, como presidente do Centro Acadêmico da Ufam. Em 2004 concorreu ao cargo de vereador, ficando apenas como suplente. Em 2007 assumiu a vaga de vereador e nas eleições de 2008 foi eleito para o mesmo cargo.

Em 2006 ocupou um cargo no ministério do Esporte, na chefia de gabinete do Departamento de Relações Internacionais. Em 2010, foi eleito deputado estadual. Em 2014 se candidatou ao governo do estado, mas ficou na terceira colocação.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.