segunda-feira, 31 de Agosto de 2015 09:44h Atualizado em 31 de Agosto de 2015 às 09:51h. Lorena Silva

Materiais de construção apontam aumento de até 8% no preço em Divinópolis

Enquanto isso, presidente de sindicato fala em queda no número de construções no município

Quem está construindo ou pensa em dar início a um novo empreendimento vai precisar lidar com o aumento no preço de materiais de construção em Divinópolis. Pelo menos é o que aponta uma pesquisa mensal do Núcleo de Pesquisas Econômicas (Nupec) da Faculdade de Ciências Econômicas Administrativas e Contábeis de Divinópolis (Faced), realizada no mês de julho no município. O levantamento mostrou que, dos sete produtos básicos da construção, cinco tiveram aumento e apenas dois apresentaram um leve decréscimo.

A pesquisa do Nupec analisou 16 estabelecimentos que comercializam materiais básicos de construção. Os itens avaliados foram: cal, cimento, areia fina e grossa, brita, argamassa e tijolo cerâmico com oito furos. O item com maior índice de alta em julho foi a areia fina. De acordo com a pesquisa, o material teve acréscimo de 8,81% no mês passado. O metro cúbico da areia fina custa, em média, R$ 93,12.

O item que apresentou o segundo maior aumento durante o mês da pesquisa foi o saco de 20 kg da argamassa, com 7,24%, seguido do metro cúbico da areia grossa, com alta de 5,99%. Segundo o Núcleo, os itens custam em média R$ 8 e R$ 76,79, respectivamente. Os outros itens que sofreram um leve acréscimo foram o saco de 20 kg da cal e o saco de 50 kg do cimento (1,90% e 0,31%, respectivamente).

Outra questão avaliada pelo levantamento foi a variação de preços dos materiais entre os depósitos de construção da cidade. Segundo o Nupec, o item que registrou a maior variação de preços foi a argamassa com 154%, já que o valor mínimo encontrado foi de R$ 6,90 e o máximo de R$ 17,50. Em seguida, a brita número 1, com variação de 83% (valor mínimo de R$ 60 e máximo de R$ 110) e a areia grossa com 76% (valor mínimo de R$ 55 e máximo de R$ 97).

CONSTRUÇÕES NO MUNICÍPIO

Paralelamente ao aumento no valor dos preços de materiais de construção, um novo cenário pode ser visto no município: o da diminuição de novos empreendimentos e a paralisação de projetos que foram iniciados em outro momento. Segundo o presidente do Sindicato das Indústrias da Construção Civil do Centro-Oeste de Minas (Sinduscon), Fábio Silva Rocha, a explicação para a diminuição das construções e empreendimentos é a desconfiança do consumidor com o atual cenário econômico.

“A crise afetou toda a cadeia produtiva, o pessoal está meio receoso de investir. O comprador às vezes até tem o dinheiro e não tem coragem de comprar. Também tem diminuído o número de projetos [de construção civil] aprovados. O pessoal está com o ‘pé atrás’”, avalia. Apesar de não possuir dados que comprovem a diminuição das construções, ele afirma que o número de empreendimentos iniciados este ano é bem menor, se comparado ao ano passado.

Nossa equipe de reportagem solicitou ao setor de Cadastros da Prefeitura de Divinópolis os números de projetos iniciados até o mês de agosto e do mesmo período do ano passado, para fazer a comparação e analisar se houve diminuição. No entanto, o setor explicou que não conseguiria atender essa demanda de imediato, devido à dificuldade em reunir os dados.

 

Preço do material de construção em Divinópolis - Julho
Produto Valor Médio Valor Mínimo Valor Máximo Diferença de Preço Variação %
Cal Hidratado 20 kg R$ 6,60 R$ 5,90 R$ 7,20 R$ 1,30 22%
Cimento 50 kg R$ 19,70 R$ 18 R$ 23 R$ 5 28%
Areia Grossa (m³) R$ 76,79 R$ 55 R$ 97 R$ 42 76%
Areia Fina (m³) R$ 93,12 R$ 75 R$ 127 R$ 52 69%
Brita nº 1 (m³) R$ 82,22 R$ 60 R$ 110 R$ 50 83%
Argamassa 20 kg R$ 8 R$ 6,90 R$ 17,50 R$ 10,60 154%
Tijolo Cerâmico R$ 0,60 R$0,51 R$ 0,82 R$ 0,31 61%

 

Fonte: Nupec
Crédito: Lorena Silva

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.