quinta-feira, 1 de Junho de 2017 09:08h Nayara Leite

Mato alto invade casas na Rua Dom Pedro II

Pedestres também dividem a rua com os carros por falta de calçadas

Mato por todos os lados, fluxo constante de veículos, iluminação insuficiente e animais peçonhentos dentro de casa são situações cotidianas que deixam os moradores da Rua Dom Pedro II, no bairro Vila Cruzeiro, em Divinópolis, indignados.

Os pedestres dividem a pista com os carros, por não terem outra opção de passagem, já que não há calçada em todos os imóveis. Em alguns pontos, o mato chega a mais de 2m de altura, prejudicando a iluminação da via e deixando quem vive próximo e passa pelo local inseguro.

As moradoras Ana Flávia Borges e Luzia Martins reclamam que o mato alto e a falta de sinalização prejudicam a vida dos motoristas e moradores, “são muitos carros que passam por aqui, com o mato na altura que está, não é possível ter uma boa visibilidade da rua, representando perigo para os próprios motoristas e para quem passa por aqui, sem mencionar a sinalização, que não existe em lugar nenhum”.

O movimento na via foi intensificado depois que o Fórum se instalou no bairro Liberdade. Para Ana Flávia, o trecho de acesso ao tribunal deveria ser melhorado. “Pelo imenso fluxo de veículos, a rua deveria ser mais bem cuidada, garantindo a segurança dos moradores e de todos que trafegam aqui”.

Nem todas as residências da Rua Dom Pedro II possuem calçada, o que dificulta ainda mais a passagem de pedestres. “São poucas as casas que têm passeio e onde não tem, o mato tomou conta, o espaço que tem entre o mato e o trânsito é pequeno, e o único jeito é andar no meio dos carros. A gente fica até com medo de andar na rua”, lamenta Luzia.

As moradoras reclamam ainda que parte da Av. Cap. Silva, por não ser calçada ou asfaltada, foi encoberta pelo mato, e hoje está inutilizável. “A parte que não tem calçamento não tem como passar nem de carro, quem dirá a pé. O mato tomou conta e, como a prefeitura não fez nenhuma manutenção, ninguém apareceu para limpar.Está intransitável, não tem como passar por ali mais”.

O mato alto também causa outro problema: animais aparecem com frequência nas residências, como ratos, baratas e cobras. Na casa de Luzia e Ana Flávia,o mais comum são centopeias e caramujos, que são encontrados em todos os cantos.

O campo de futebol que fica na Rua Dom Pedro II também foi tomado pelo mato, um dos poucos locais que poderia ser utilizado para lazer das crianças está abandonado.

Outro problema é a iluminação, que,segundo as moradoras, é insuficientee o matodeixa a rua ainda mais escura. “Quando tenho que voltar para casa à noite ou mesmo no entardecer, é muito preocupante. Muitos carros passando e você tem que desviar deles também, a rua fica escura e o medo de alguém estar escondido no meio do mato é grande”, relatou Luzia.

LAGOA DO SIDIL

“O entorno da Lagoa do Sidil é uma área de preservação ambiental, mas os lotes próximos não, e pela lei a responsabilidade de limpeza, é do proprietário. Porque aqui ninguém cumpre?”, questionam Luzia e Ana Flávia.

Para as moradoras, a limpeza da Lagoa é extremamente necessária, pois a poluição, além dos vários prejuízos ambientais, causa mau cheiro. “Quando o sol está muito forte, o mau cheiro é insuportável, sem contar que é um acesso bom para o Centro que não podemos utilizar, porque o mato está muito alto”.

LEIS

Diversas leis tratam da obrigatoriedade dos proprietários em mantero cuidado com seus imóveis, como limpeza e capina periódicas.O art.1, da Lei 6.907/2008, estipula que a limpeza e capina devemser feitas no período máximo de quatro meses, na responsabilidade do proprietário.

A Lei 7.704/ 2013 decreta que os proprietários serão notificados e, no máximo em dez dias, devem regularizar a situação do imóvel. Após o vencimento do prazo, a Prefeitura “procederá, a seu critério, a limpeza do respectivo terreno com ônus ao proprietário” (art. 4o), além de aplicar penalidades diante do descumprimento da legislatura.

PREFEITURA

A assessoria de comunicação da Prefeitura de Divinópolis informou queo cidadão pode denunciar as irregularidades, para tanto, são disponibilizados dois canais. Pela internet, é através do www.divinopolis.mg.gov.br. Na lateral direita do site, é necessário acessar o link ‘Cidadão’. E pelo Setor de Protocolo, o contribuinte pode se dirigir ao prédio da Prefeitura, na Rua Pernambuco, n° 60 - Centro, no térreo, e fazer a denúncia pessoalmente de 12h às 18h.

© 2009-2020. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.