quinta-feira, 30 de Julho de 2015 09:54h Pollyanna Martins

Medicamentos para hipertensão e diabetes são disponibilizados gratuitamente pelo governo federal

Com a falta de medicamentos na Farmácia Municipal Central, usuários podem adquirir remédios indicados para o tratamento da hipertensão e do diabetes sem custos

O governo federal oferece, desde 2011, medicamentos indicados para o tratamento da hipertensão e do diabetes sem custos, por meio do programa Farmácia Popular do Brasil. A Portaria 184/2011, assinada em 3 de fevereiro de 2011, determinou que, a partir do dia 14 de fevereiro, todas as farmácias da Rede Própria, bem como as farmácias e drogarias credenciadas do “Aqui Tem Farmácia Popular” ficassem obrigadas a praticar os preços de dispensação e os valores de referência até o dia 14 de fevereiro de 2011, garantindo, assim, a gratuidade para estes medicamentos.
A Gazeta do Oeste mostrou na edição passada que na Farmácia Municipal Central de Divinópolis 58 remédios estão em falta no estoque da unidade. Nossa reportagem entrevistou quatro usuárias, que foram até o local para pegaram medicamentos de pressão, saíram com as mãos vazias, e não sabiam o que fazer para manter a medicação em dia. Como no caso da dona de casa Aparecida Barbosa, que tem hipertensão e diabetes. A usuária foi à Farmácia para buscar cinco medicamentos, mas voltou para casa apenas com dois. Para não ficar sem a medicação, a aposentada recorre à Unidade Básica de Saúde de seu bairro, ou então pega da mãe que é usuária de Losartana (remédio para hipertensão). “Eu vou chegar em casa agora e pegar o Losartana que a minha mãe toma para ficar com a medicação em dia, porque um dia que a gente não tomar já dá diferença. Agora eu estou levando a insulina e a lanceta, a fita não tem, e eu sou diabética então eu preciso da fita. Eu olho a minha glicemia duas vezes ao dia, e agora vou ter que ir ao posto de saúde para as enfermeiras poderem olhar”, relatou.
O leitor da Gazeta do Oeste Renato Sérgio enviou um e-mail para a reportagem explicando que “a título de esclarecimento à população, medicamentos como Captopril e Clorana, entre outros, são entregues de forma gratuita nas mais de 40 farmácias credenciadas pelo Programa Farmácia Popular do Ministério da Saúde (apenas em Divinópolis). Portanto, as pessoas não necessitam gastar com estes e vários outros produtos, podem se dirigir a uma das drogarias credenciadas, apresentar a receita médica (validade de 120 dias), CPF e documento de identidade, não necessitando pagar por estes produtos. A Sinvastatina está no programa de coparticipação, sendo que nessa modalidade o cliente paga um valor de aproximadamente 10% do valor do produto.”
Desde 4 de junho, o Ministério da Saúde também passou a disponibilizar para a população, por meio do SNTP, três medicamentos para o tratamento da asma, disponíveis em oito apresentações, de forma totalmente gratuita. Os medicamentos disponíveis para asma são: Brometo de Ipratrópio, Diproprionato de Beclometasona e Sulfato de Salbutamol. Nas unidades da Rede Própria, está disponível somente o medicamento Sulfato de Salbutamol em três apresentações. Além dos medicamentos gratuitos para hipertensão, diabetes e asma, o Programa oferece mais 11 itens, entre medicamentos e a fralda geriátrica, com preços até 90% mais baratos utilizados no tratamento de dislipidemia, rinite, mal de Parkinson, osteoporose e glaucoma, além de contraceptivos (anticoncepcionais) e fraldas geriátricas para incontinência urinária.

 

INFORMAÇÕES
Outro caso mostrado pela Gazeta foi o da dona de casa Luciana Silva Moreira Cardoso, que foi à Farmácia para buscar dois remédios, mas conseguiu apenas um. Luciana toma remédio para hipertensão e saiu sem o medicamento Clorana. “Eu estou aqui pensando como eu vou fazer sem esse remédio. A minha sogra o toma e vou ver se ela me empresta”, lamentou.
A Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) informou, por meio de sua Assessoria de Imprensa, que o programa de distribuição gratuita de medicamentos em drogarias é do governo federal, sendo este o responsável por divulgar a informação. De acordo com a Assessoria, os funcionários da Farmácia Municipal não estão orientados a informar sobre o fornecimento gratuito dos medicamentos através do programa, mas por meio de conversas informais alguns usuários são informados.

 

Crédito: Pollyanna Martins

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.