quarta-feira, 12 de Agosto de 2015 11:11h Atualizado em 12 de Agosto de 2015 às 11:14h. Mariana Gonçalves

Membros da FLID realizam contação de histórias para pacientes da ACCCOM

Como parte dos projetos sociais da Festa Literária de Divinópolis (FLID), parte de sua equipe realizou uma tarde pra lá de animada na Associação de Combate ao Câncer do Centro Oeste Mineiro (ACCCOM)

Foi um momento de contação de histórias e um bate papo sobre o universo literário com os pacientes da instituição e seus acompanhantes. O objetivo é amenizar as dificuldades do tratamento e levar um pouco da alegria e conforto que as letras trazem.
Para a gerente de comunicação da ACCCOM, Consuelo Reis Fonseca, é muito satisfatório poder, pelo segundo ano consecutivo, participar das atrações propostas pela Flid. “Temos o café ACCCOM dentro da festa, que é totalmente revertido para a luta contra o câncer. Poder receber essa equipe para uma intervenção artística como essa, de contação de histórias, foi uma surpresa muito grata, muito boa, porque eu já imaginava que seria um grande momento, mas, particularmente, superou em muito as minhas expectativas e tenho certeza que a dos pacientes que assistiram também, porque, de fato, a gente pode ver no rosto deles uma satisfação, alegria, principalmente pela atenção que a equipe da Flid deu aos pacientes, e buscaram a história mais ideal para esse momento”, destaca.
Ainda segundo Consuelo, a cultura está atrelada à causa contra com câncer. “A arte tem um grande poder de amenizar a dor, de alimentar a alma, acalentar a alma, então é isso que buscamos em nosso dia-a-dia, temos aqui o tratamento contra o câncer com remédios convencionais e tradicionais, mas ter sempre um algo a mais é muito importante e faz a diferença”, completa.
O editor da Gulliver Editora, Joubert Amaral, também falou sobre a ação. “Para a organização da Flid é muito importante saber que uma festa literária possa também contribuir com a comunidade, e a parceria com a ACCCOM é de grande valia, porque a gente sabe a dor e a dificuldade de quem está em tratamento contra o câncer. Então a intenção é levar alegria, afeto aos pacientes do hospital do câncer, a gente espera que a literatura possa contribuir um pouco para potencializar essa luta contra essa doença tão mesquinha”, encerra.

INGRESSOS FLID

Já começou a troca de ingressos para assistir as oficinas da Flid. Para garantir a entrada, os interessados devem levar até a Boutique do Livro, que fica na Avenida Antônio Olímpio de Morais, nº 487, um livro novo ou usado, em bom estado de conservação. Os detalhes da programação como datas, horários e atrações estão disponíveis no www.flid.com.br
Os tipos de livros a serem levados na troca, preferencialmente, são as obras de literatura e não exemplares didáticos ou obras datadas, como, por exemplo, Código Civil da década de 70.
A exemplo da edição passada, quando foram arrecadados mais de 1.000 exemplares, todas as obras serão doadas para a Biblioteca Pública Municipal, “Ataliba Lago”, espaço público que leva o nome do homenageado da FLID deste ano.


Credito: Mariana Gonçalves

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.