sábado, 8 de Outubro de 2016 11:00h Pedro Gianelli

“Minha Cidade Lê” e “Livro, Leve e Solto” posicionam Divinópolis com bons índices de leitura

Dois projetos da Prefeitura de Divinópolis contribuíram para o município se destacar numa pesquisa inédita da Câmara Mineiro do Livro. O “Minha Cidade Lê” coordena­do pela Secretaria Municipal de Educação e o “Livro, Leve e Solto” da Secretaria Municipal de Cultura ajudaram a cidade ter bons índices de leitura e se destacar no cenário estadual.

A infraestrutura Cultural da cidade também foi determi­nante para os resultados posi­tivos. A pesquisa foi conduzida por uma empresa especiali­zada – Data Cultura – com o apoio da Secretaria de Cultura de Minas Gerais e Fundação Municipal de Cultura de Belo Horizonte.

A amostragem revela o Índice de Leitura e Comporta­mento dos Leitores na Capital e em oito cidades-polo de Minas Gerais. A pesquisa foi realiza­da nos municípios de Teófilo Otoni, Poços de Caldas, Juiz de Fora, Uberlândia, Divinópolis, Governador Valadares, Patos de Minas e Montes Claros.

O levantamento revela que a população de Divinópolis lê, em média, 2,53 livros ou partes de livros por trimes­tre, acima da média nacional de 1,85 e da mineira de 1,62 livros. Belo Horizonte é o mu­nicípio com maior número de pessoas que afirmam gostar de ler (63,14%), seguido por Juiz de Fora (58,59%), Poços de Caldas (57,47%), Teófilo Otoni (58,72%) e Divinópolis (55,08%).

“O perfil da população de Divinópolis explica em parte este resultado positivo: há predomínio de pessoas com escolaridade acima do ensino médio e superior. Outro fator importante que propicia um bom índice de leitura na cidade refere-se a sua infraestrutura cultural, com Museu Histórico, teatro, diversas salas de cinema e circulação de jornais, sendo um deles de alcance para toda a microrregião de Divinópolis”, destacou o relatório da Câmera Mineiro do Livro.

PROJETOS

Um dos projetos que con­tribuíram para o resultado é o projeto “Minha Cidade Lê”. A proposta é aplicada desde o princípio do ano e, geralmente no segundo semestre, come­çam as mostras dos trabalhos realizados e apresentações artísticas dos alunos, dentro do tema proposto.

“O “Minha Cidade Lê” tem como principal objetivo possibilitar aos educadores e estudantes o desenvolvimen­to de habilidades de leituras diversas, ampliando conheci­mentos e cultura, formando leitores competentes”, afirmou a secretaria municipal de Edu­cação Rosemary Lasmar. No final do programa, a proposta apresenta aos pais e familiares um pouco do trabalha reali­zado durante o ano com os alunos através do projeto em evento no Teatro Municipal Usina Gravatá.

Outra proposta de incen­tivo a leitura é o “Livro, Leve e Solto”. Lançado em 2010, a proposta estimula a leitura e busca novos leitores pelas ruas do município. Em 2013, por exemplo, foram distribuídos 300 exemplares na área central da cidade, na rua São Paulo esquina com avenida Antônio Olímpio de Morais, pela equipe da Secretaria Municipal de Cul­tural (Semc). A equipe explica que os livros são sem registro ou cadastro. O leitor recebe o livro, passa para frente, ou se preferir devolve. “Acreditamos que podemos incentivar a leitura, cada vez mais aproxi­mando a população dos livros, destacou o secretário Muni­cipal de Cultura, Bernardo Rodrigues. O projeto já passou por vários espaços públicos como Praça do Santuário e da Catedral.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.