segunda-feira, 1 de Abril de 2013 04:48h Luciano Eurides

Missa do Crisma reuniu centenas de pessoas de toda a diocese

Celebração da quinta-feira Santa foi celebrada por Dom José Belvino

A tradicional Missa do Crisma, realizada sempre na quinta-feira Santa, na Catedral sede da Diocese reuniu um grande número de presentes. São visitantes das paróquias diversas e também fiéis de Divinópolis. A missa foi presidida pelo Bispo Emérito Dom José Belvino do Nascimento. A Igreja particular de Divinópolis está sem Bispo desde a saída de Dom Tarcísio Nascentes dos Santos.
A celebração contempla a unidade do sacerdócio, benção dos Santos Óleos, que são usados nos diversos sacramentos: o óleo do crisma, misturado com perfumes, para significar o dom do Espírito no batismo, na crisma, na ordem.
A celebração, em caráter extraordinário, foi celebrada pelo Bispo Emérito, concelebrada por 76 sacerdotes de toda a região pertencente a diocese e representantes das diversas congregações. Seminaristas e diáconos também acompanham o momento de fé e unidade.
A celebração tem o ponto alto na renovação das promessas sacerdotais e benção dos santos óleos, que serão usados na administração dos sacramentos do batismo, crisma e ordem.
Dom José Belvino fez a homilia e se dirigir ao povo divinopolitano, pedindo ao clero muita oração. O Bispo emérito iniciou a homilia relembrando a última celebração por ele presidida, na oportunidade havia dito ser ás últimas palavras dele aos sacerdotes e ao povo. Belvino chamou a atenção para o povo amar os sacerdotes e pediu paciência aos sacerdotes para com os fiéis.
Com o mesmo bom humor de sempre, mas dessa vez com a homilia totalmente escrita descreveu as missões dos sacerdotes no dia-a-dia da missão divina. Dedicou parte da fala dele aos sacerdotes e sobre a necessidade da pregação. “Transforma-la em oração e vida e depois transmiti-las aos fiéis. Devem preparar as pregações, homilias, palestras e eventos. Pregar com o coração e cuidar da catequese de crianças e jovens. Usar os recursos da tecnologia moderna. Deve ser o guia espiritual, deve cuidar das ovelhas e livra-las dos perigos”, pregou.
O emérito Bispo da Diocese de Divinópolis ainda comentou a eleição de Francisco a Papa e dele fez alusão aos pobres e acabou se deixando levar pelo improviso. “Não está escrito aqui, mas me deu uma vontade de falar, uma paróquia que não acolhe os pobres não é uma paróquia que se preze”, declarou.
A homilia foi finalizada com uma história, que é a marca das principais pregações de Dom José Belvino. Conforme Dom José Belvino sempre fez, ele quebrou o protocolo da celebração ao chamar os jovens para junto dele rezar o Pai Nosso, na Eucaristia distribuiu as hóstias apenas aos seminaristas e ao final houve a distribuição de uma lembrança a cada um dos padres presentes.
Dom José Belvino almoçou com o clero e depois retornou para Entre Rios de Minas, onde reside atualmente.

 

ADMINISTRAÇÃO


Dom José Belvino é Bispo em Divinópolis desde 11 de junho de 1989, emérito desde 17 de maio de 2009. Dom Tarcísio ficou três anos a frente da diocese, nomeado para Duque de Caxias em 1º de agosto do ano passado, desde então Monsenhor José Carlos é o administrador diocesano.
 

Leia Também

Imagem principal

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.