quarta-feira, 1 de Agosto de 2012 12:56h Flaviane Oliveira

Mistério dos peixes mortos em lagoa segue sem resposta

Após mais de duas semanas da morte de vários peixes em uma lagoa no Centro Industrial, o caso continua sem resposta. A previsão é de que nos próximos dias um parecer possa identificar a causa da mortandade dos peixes, apesar do tempo, na lagoa ainda há vários peixes mortos e o mau cheiro é cada vez maior. A situação sofre agravantes, pois além dos animais mortos, as margens da lagoa apresentam resíduos como os que podem ser vistos em ocorrências de esgoto a céu aberto. A água da lagoa está ainda mais escura e os peixes estão em estado avançado de deterioração.

 


A reportagem entrou em contato com a sede da Secretaria Estadual de Meio Ambiente em Divinópolis, porém a informação é de que até o momento não há novidades sobre o caso e que somente na quinta feira outras informações poderão ser prestadas. Enquanto isso, a população que mora e trabalha no Centro Industrial continua sem respostas para o caso e os peixes mortos ainda aparecem em grande quantidade às margens da lagoa. Aves e cachorros tem se alimentado dos animais mortos e em avançado estado de decomposição.

 


Até que a causa da morte dos peixes seja identificada é importante que a população esteja em alerta e evite o contato direto com a água. De acordo com o biólogo Claudemir Henrique da Cunha que se pronunciou sobre o assunto à Gazeta do Oeste assim que os peixes foram encontrados, nos casos de mortes de maior quantidade de peixes há dois fatores que possivelmente podem ser os responsáveis, o primeiro deles é a falta de oxigênio na água e o segundo fator é a possibilidade de ter ocorrido uma mudança no componente químico do ambiente aquático da lagoa.

 


Dessa forma, é importante que a população fique atenta quanto ao uso da água da lagoa. É importante não fazer uso dessa água para consumo ou mesmo atividades como a limpeza de casa. Os peixes da lagoa não devem ser consumidos e um  cordão de isolamento feito para que animais domésticos não tenham contato com a água.

 

 

RELEMBRE

 


A situação chegou às autoridades há exatamente duas semanas. Na ocasião, os peixes mortos foram encontrados por funcionários que trabalham no Centro Industrial. Os peixes são de espécie pequena e parecidos com  carás e tilápias.

 


Em entrevista anterior à Gazeta do Oeste, a Polícia de Meio Ambiente que informou já ter feito o contato com a Superintendência Regional de Regularização Ambiental (Supram) para que após o fechamento das investigações pudesse fechar o Boletim de Ocorrência.

 


Assim que os peixes foram encontrados, no último dia 18, a assessoria de comunicação do Sistema Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sisema) destacou que técnicos da Supram Alto São Francisco e integrantes da Polícia Militar de Meio Ambiente estiveram no local onde foram encontrados peixes mortos e desde então a equipe está investigando as possíveis causas das mortes e se o número de peixes encontrados caracteriza uma mortandade. Em breve, o Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sisema) divulgará informações que indiquem causas e as possíveis penalidades, caso sejam identificados os responsáveis, porém, até o momento nada foi anunciado ainda.
 

Leia Também

Imagem principal

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.