sexta-feira, 6 de Novembro de 2015 09:07h Atualizado em 6 de Novembro de 2015 às 09:09h. Mariana Gonçalves

Mobilização para o Dia da Consciência Negra reúne profissionais da educação em Divinópolis

Está programada para o dia 20, em Divinópolis, uma caminhada em comemoração ao Dia da Consciência Negra

Os trabalhos estão sob a coordenação de Movimentos Negros da cidade, Secretaria Estadual de Educação e Superintendência Regional de Ensino.
Durante todo o dia de ontem, foi realizado, no auditório da Escola Estadual São Tomaz de Aquino - no Porto Velho, um encontro com diversos profissionais da rede pública de ensino. A ativista, Maria Catarina Vale, destaca que foram convidados também a participar desse momento, representantes das escolas municipais e particulares da cidade, mas estes não compareceram.
O encontro, além de discutir a caminhada do dia 20, teve como foco, também, falar sobre a que 'pé' está a aplicação da Lei 10.639, que institui a obrigatoriedade do ensino de História e Cultura Africana e Afro-Brasileira, dentro das instituições de ensino. “Infelizmente, foi preciso doze anos após a lei para acontecer os debates que estamos tendo aqui, e também, a união entre Secretaria de Estado da Educação, Superintendência, Movimentos Negros e Ativistas. A pretensão é dialogar com todos os especialistas da educação, para que essas pessoas demonstrem para nós o que está sendo trabalhado, tratando sobre educação étnica e racial. A cada dia, estamos vendo mais práticas racistas, tanto na escola quanto na sociedade e em outros lugares. E por esse encontro, eu pude sentir um distanciamento e talvez desprezo pela temática, pois esperávamos que todas as escolas, todos os especialistas viessem, como foram convidados pela superintendência, mas agradeço e me sinto contemplada com as pessoas que compareceram”, diz a ativista.
A Lei Federal nº 10.639, aprovada em março de 2003, altera a Lei de Diretrizes e Bases (LDB) e tem o objetivo de promover uma educação que reconhece e valoriza a diversidade, comprometida com as origens do povo brasileiro.

 

PARALISAÇÃO

No dia 20, haverá uma paralisação das atividades dentro das escolas, para a caminhada que será realizada no centro da cidade. Participarão desse momento: profissionais da educação, alunos, representantes de movimentos sociais, e claro, toda a população, de forma geral, está convidada a fazer parte da ação. Logo pela manhã, a concentração será na Praça da Catedral, o trajeto inclui descer a Avenida 1° de Junho, subir a Goiás até próximo a Avenida 21 de Abril, seguindo para a Praça do Santuário. “Vamos terminar o evento com um ato em que vamos chamar todos os ativistas, reinadeiros, pessoa da umbanda, do candomblé, toda a etnia negra, toda a diversidade negra, que nunca teve voz e vez em muitos espaços da sociedade. Vamos ter também a exposição de trabalhos dos alunos, apresentações artísticas. Queremos fazer desse dia um grande diferencial para a educação de Divinópolis, aproveito para parabenizar essa iniciativa da Superintendência Regional de Ensino aqui no município”, completa Maria Catarina.

 

ZUMBI DOS PALMARES

O Dia Nacional de Zumbi e da Consciência Negra, celebrado em 20 de novembro, foi instituído oficialmente pela lei nº 12.519, de 10 de novembro de 2011. A data faz referência à morte de Zumbi, o então líder do Quilombo dos Palmares, situado entre os estados de Alagoas e Pernambuco, na região Nordeste do Brasil. Zumbi foi morto em 1695, na referida data, por bandeirantes liderados por Domingos Jorge Velho.
A data de sua morte, descoberta por historiadores no início da década de 1970, motivou membros do Movimento Negro Unificado contra a Discriminação Racial, em um congresso realizado em 1978, no contexto da Ditadura Militar Brasileira, a elegerem a figura de Zumbi como um símbolo da luta e resistência dos negros escravizados no Brasil, bem como da luta por direitos que seus descendentes reivindicam.

 

Créditos: Mariana Gonçalves

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.