sexta-feira, 29 de Maio de 2015 13:26h Atualizado em 29 de Maio de 2015 às 13:34h. Jotha Lee

Moradores do Bom Pastor vão acionar o município na Justiça

Comerciante denuncia deficiência na infraestrutura e o fechamento de 15 estabelecimentos comerciais

O comerciante Adalton Freire ocupou a Tribuna Livre da Câmara na sessão de ontem e fez um duro pronunciamento contra a ação do Executivo na região do bairro Bom Pastor. Segundo ele, a falta de manutenção na rede pluvial está gerando prejuízos e enormes transtornos para a população do bairro. Falando em nome da Associação de Moradores, com autorização da presidente Maria Helena, o comerciante se mostrou indignado com a falta de ação do Executivo, que segundo ele, esqueceu aquela região.
De acordo com o comerciante, com as bocas de lobo entupidas, basta uma pequena chuva para que ocorram grandes alagamentos, especialmente na Avenida JK e nas ruas Iguatama e Itutinga. “Felizmente o período chuvoso esse ano já passou e não podemos esperar a chegada das chuvas novamente sem que seja tomada uma providência. Queremos, não, exigimos que os impostos que pagamos sejam revertidos em obras em favor do povo. Precisamos com urgência de um trabalho para facilitar o escoamento das águas, para evitar que os alagamentos continuem sendo causa de acidentes de trânsito, além dos grandes prejuízos causados aos moradores”, afirmou.
O comerciante revelou que 15 estabelecimentos comerciais já fecharam as portas no bairro, por falta de condições de trabalho. O que traz maiores danos aos comerciantes são os alagamentos, que segundo Adalton Freire, acontecem independente do volume de chuvas. “Espero que o prefeito determine pelo menos a limpeza das bocas de lobo antes do próximo período chuvoso”, afirmou. Ele assegurou que os prejuízos causados à população são de grandes proporções. Ele informou que os moradores entraram com uma ação coletiva contra a Prefeitura por perdas e danos, pedindo indenização para cobrir os prejuízos causados pela deficiência na infraestrutura do bairro. 

 

SOLIDÁRIOS
Vários vereadores foram solidários ao comerciante. Hilton de Aguiar (PMDB) cobrou uma solução para o problema e criticou a atuação dos secretários municipais. “Senhor secretário de Obras, vamos criar vergonha na cara e resolver o problema. O prefeito só ouve o que dizem esses secretários incompetentes, que falam que está tudo bem na cidade. Enquanto o prefeito continuar ouvindo esse bando de secretários, as soluções para os problemas não vão aparecer”, atacou.
O vereador Edmar Rodrigues (PSD) lamentou que comerciantes estejam fechando suas portas no bairro Bom Pastor por falta de ação do Executivo. “Os pequenos empresários é que mantêm o ICMS e a economia da cidade. E nós estamos perdendo esses pequenos empresários. É grande o número de lojas fechadas em toda a cidade e agora, como somos informados que só no Bom Pastor 15 estabelecimentos já encerraram atividades, porque não suportam mais os prejuízos provocados por alagamentos”, discursou. “Vou encaminhar a gravação do pronunciamento do senhor Adalton Freire ao prefeito para que providências sejam tomadas”, finalizou.
O líder do prefeito na Câmara, vereador Adilson Quadros (PSDB), disse que os alagamentos na Avenida JK acontecem há mais de 16 anos. “É um problema antigo. Isso é comum em quase toda cidade brasileira. Mas temos que fazer alguma coisa. E também é preciso ter a compreensão do cidadão, pois muitas pessoas ainda jogam o lixo no bueiro”, justificou.

Crédito: Liziane Ricardo

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.