sexta-feira, 28 de Agosto de 2015 10:14h Atualizado em 28 de Agosto de 2015 às 10:15h. Mariana Gonçalves

Moradores do Jardim Alterosa desmentem versão dada por Prefeitura

No último dia 20, o Gazeta do Oeste trouxe em sua edição n° 2638 a matéria intitulada “Precariedade em ruas do Jardim Alterosa revolta população, que cobra por atitude da Prefeitura”

O texto mostrou a clara indignação dos moradores do Jardim Alterosa em relação à falta de infraestrutura do bairro, que está recebendo a construção do Hospital Público Regional.
As reivindicações são as melhorias dos acessos do bairro, e demais ruas do Jardim Alterosa que não têm nem um tipo de pavimentação, além disso, a população cobra pela ligação da rede esgoto e também a solução para um caminho aberto na Rua Cabo José dos Reis Correia, segundo moradores, esse trecho é irregular e não consta como sendo parte da rua. Essa passagem está sendo utilizada por veículos de pequeno e grande porte, prejudicando, principalmente, quem mora nas proximidades do local, a poeira gerada pelo excesso de velocidade dos veículos que ali trafegam é motivo até de doença na população.
Ainda nessa reportagem, relatamos também os problemas nas ruas Cabo João Amaral e Alceu Amoroso. Em resposta à nossa solicitação, a assessoria de comunicação da Prefeitura de Divinópolis, na ocasião, falou apenas sobre as providências a serem tomadas na Alceu Amoroso. Para as outras demandas, a assessoria alegou não haver na Prefeitura nenhum registro de reclamação das mesmas.
No entanto, a equipe de reportagem do Gazeta foi novamente procurada pela população do Jardim Alterosa, que declarou ser falsa a afirmação de que a Prefeitura não estava à par da situação no bairro. Foram entregues à nossa reportagem as cópias dos ofícios enviados pelo vereador Edmílson Andrade, e protocolado na Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Secretaria de Trânsito e Transportes e Secretaria de Operações Urbanas, ambos os documentos no dia 18 desse mês.

 

EM ANÁLISE

Novamente, entramos em contato com a assessoria da Prefeitura, e a única resposta foi de que os ofícios chegaram, e que até então, na data da reportagem, o órgão não havia tido registro do problema. Ainda de acordo com a assessoria, os ofícios estão sob análise da secretaria de governo. A reportagem solicitou resposta para o tempo em que essa análise irá durar, mas tal informação não nos foi repassada.

 

Créditos: Mariana Gonçalves

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.