sábado, 6 de Agosto de 2016 09:05h Pollyanna Martins

Moradores e comerciantes reclamam de lixo a céu aberto no Centro de Divinópolis

De acordo com uma comerciante, o lixo é descartado de forma irregular por funcionários de uma pizzaria

POR POLLYANNA MARTINS

pollyanna.martins@gazetaoeste.com.br

 

Moradores e comerciantes de Divinópolis precisam conviver com uma situação cada vez mais comum na região central: lixos de restaurantes e lanchonetes descartados de forma irregular e espalhados por todo lado. Uma comerciante, que preferiu não se identificar, denunciou ontem (5) o estado que estava a esquina das Ruas Rio Grande do Sul e Minas Gerais. Conforme a comerciante, ela trabalha no local há oito meses e o local sempre está tomado por lixo, porém vizinhos disseram que o problema dura há mais de um ano. “Não é uma pessoa que passa e rasga o lixo, não. O lixo não e acondicionado de forma correta. Eu trabalho aqui perto há oito meses, mas os vizinhos me falaram que o problema tem mais de um ano”, reclama.

De acordo com a comerciante, o problema é ocasionado por funcionários de uma pizzaria, que, além de descartarem o lixo de forma inadequada, colocam os resíduos nos horários em que não há a coleta. “O lixo é coletado aqui à noite, entre 20:30h e 22h, mas eles colocam o lixo durante a madrugada, quando o lixo da região já foi recolhido”, relata. Com o acúmulo de comida no chão, é comum encontrar larvas e outros insetos. Segundo a comerciante, todos os dias tem lixo espalhado, porém há dias que são piores. Ela acredita que os piores dias são quando há lixo acumulado no estabelecimento. “Tem dias que é pior, que insuportável. Na segunda-feira é o pior dia, eu acredito que eles juntam o lixo de todo final de semana e colocam de qualquer jeito na rua. No sábado e domingo também é terrível, porque o movimento é grande no fim de semana”, detalha.

 

LIMPEZA

 

Os moradores e comerciantes da região têm apenas duas opções: ou convivem com o lixo, larvas e insetos ou limpam o local. Conforme a comerciante, quando ela e outros trabalhadores chegam, se deparam com a sujeira logo pela manhã e a saída é recolher o lixo. “Tem uma moça que chega aqui de manhã para trabalhar e junta, tem outras pessoas que juntam também. E nesse lixo tem resto de macarrão, resto de pizza, laranja estragada. Um dia desses estava lotado de fruta podre, bicho, larvas”, queixa.

 

RECLAMAÇÃO
 

Como o local da sujeira acumulada fica próximo à Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), os moradores e comerciantes denunciaram a situação na Vigilância Sanitária, mas receberam a informação de que o órgão não poderia fazer nada em relação ao problema. “Eles disseram que não podiam fazer nada, porque era o setor de Posturas da Prefeitura que resolveria o problema. Eles disseram também que já têm conhecimento do problema e que era constante”, conta. De acordo com a comerciante, após serem informados de que teriam que procurar o setor de posturas da Prefeitura de Divinópolis, ela e outros comerciantes e moradores denunciaram a situação, mas nada foi feito. A comerciante reclama da inércia do poder público diante de um caso grave e que se torna rotineiro em Divinópolis. “No setor, disseram que já tem reclamações lá. Eles têm consciência do problema, que é constante, mas é um constante que não resolve”, frisa.
 

 

PREFEITURA
 

 

A Prefeitura de Divinópolis informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que é necessário que os moradores e comerciantes denunciem o problema para que ele seja solucionado.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.