sexta-feira, 22 de Maio de 2015 12:36h Atualizado em 22 de Maio de 2015 às 12:40h. Pollyanna Martins

Moradores reclamam de infestação de escorpião no bairro Sidil

Empresária vai se mudar do bairro por medo dos aracnídeos que invadiram sua casa

Os moradores do bairro Sidil estão assustados com o número de escorpiões, que tem encontrado em suas casas. Segundo a empresária, Viviane Ferreira, os aracnídeos aparecem com frequência na região. A empresária, que mora na Rua Mato Grosso, tem em casa um pote com mais de quinze escorpiões. Ela conta que já encontrou os animais peçonhentos na maioria dos cômodos da casa, e que teme pela segurança dos filhos pequenos. “Eu acredito que os escorpiões saem da rede de esgoto, e não fui só eu quem achou escorpião em casa não, a maioria dos meus vizinhos já acharam também. Outra vizinha tem um vidro cheio de escorpião também. Eu fico com medo, porque os escorpiões andam livremente na casa, e os meninos às vezes estão descalços, brincando, e quando veem o bicho, acham que é indefeso e tentam pegar”, analisa.
Vizinhos reclamaram de um lote sujo e uma casa abandonada que ficam na região. De acordo com a empresária, ela e o marido já dedetizaram sua residência duas vezes, mas o procedimento não adiantou. Viviane disse que o problema foi solucionado por quinze dias, e após este período, ela voltou a encontrar o animal em sua residência. “Já dedetizei a casa duas vezes e não adiantou. Eles saiam dos ralos, chegavam à superfície vivos ainda e aí que morriam, passavam quinze dias eles apareciam pela casa toda de novo”, descreve.
Cansada de pagar por um serviço que não funcionou, e a fim de evitar que os filhos sejam picados pelo aracnídeo, Viviane decidiu mudar-se de casa. A empresáriam que já foi picada por escorpião, relata que, no último domingo (16), encontrou o animal próximo ao seu pé, como foi pega de surpresa, ela jogou um tapete em cima do aracnídeo para evitar uma nova picada. “Eu gosto de trabalhar descalço, e ele chegou a encostar em mim, e eu joguei o tapete em cima dele, e ele agarrou no meu pé e eu o chutei. Com esse perigo, foi quando eu decidi mudar de casa. E se fosse um dos meus filhos?”, indaga.

 

COMO PROCEDER
A empresária revela que além dos escorpiões que estão no pote, ela já matou outros. Viviane criou o hábito de sacudir os edredons e lençóis das camas da casa antes, para não ter alguma surpresa. “A gente sacode bastante os edredons antes de dormir, e mesmo assim, a gente dorme com medo. Aqui em casa, eles [escorpiões] ficam na parede, eu já puxei muitos da parede e coloquei no vidro, fora os que eu matei. Acho que eu mais matei escorpião do que peguei. Um dos pequenos que está no pote estava perto da minha filha”, conta.
O técnico de serpentário, Policarpo Nunes, explica que o aracnídeo tem hábitos noturnos, e prefere locais sujos com barata, pois é dela que o animal peçonhento se alimenta. Ainda de acordo com o técnico, não existe veneno para matar o escorpião, o ideal é manter a casa limpa, sem insetos. “Onde tiver barata, que é o alimento do escorpião, ele vai estar lá. Lote sujo, casa abandonada contribui, e muito, para o aparecimento de escorpião”.
Conforme Policarpo, o veneno do escorpião amarelo é o mais perigoso, ele pode matar um adulto de 8 a 10 horas. Já em crianças e idosos, o efeito é mais rápido. “Quem for picado tem de 8 a 10 horas para procurar um socorro. Para criança e idoso, o socorro tem que ser na hora, porque a picada pode ser fatal. A pessoa tem que tomar muita água, não fazer torniquete, e procurar o hospital mais próximo para tomar o soro antiescorpiônico”, orienta.

 

PREFEITURA
Nossa reportagem procurou a Prefeitura de Divinópolis para saber a situação do lote vago e da casa abandonada, porém fomos informados que somente com o protocolo de reclamação, a assessoria de imprensa se posiciona sobre o assunto.

 

Crédito: Pollyanna Martins

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.