terça-feira, 12 de Julho de 2016 15:00h

Nova siderúrgica deve reaquecer a economia em Divinópolis

A expectativa de que uma nova siderurgia seja instalada em breve em Divinópolis traz um alento no setor do ferro-gusa

O presidente da Associação Comercial, Industrial, Agropecuária e Serviços de Divinópolis (Acid), Léo Gabriel, informa que a indústria será localizada na BR494, quilômetro 18, próximo à comunidade do Choro (antiga Siderúrgica União) e será em inaugurada em outubro. Trata-se de um grupo que faz parte de um conglomerado de capital fechado, com presença em mais de 20 países. Por questões contratuais, o nome da empresa será mantido em sigilo pela Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg) e Acid.

 

 

Para o presidente da Acid, a instalação de uma nova siderúrgica deve movimentar a economia local. “Estamos carentes de boas perspectivas e a vinda de uma nova empresa irá trazer muitos benefícios para Divinópolis. Além dos empregos diretos, a economia irá se reaquecer, pois trará também empregos indiretos. A reação será positiva, já que várias oportunidades irão surgir em outros segmentos, como o do transporte, de combustíveis, da alimentação, de serviços.”, garante Léo Gabriel.

 

 

O presidente da Fiemg, Afonso Gonzaga, acredita na retomada da compra do ferro-gusa pelos norte-americanos. “Apesar de termos os Estados Unidos como nosso maior comprador, atualmente não têm comprado praticamente nada e é uma ação que temos feito efetivamente de tentar encantar os americanos, para que voltem a comprar. Nós temos a melhor matéria-prima, tanto para atender ao setor de máquinas quanto de autopeças. Mas, é uma questão de tempo. Os Estados Unidos buscaram uma oportunidade diferente quando a descoberta do gás de xisto provocou a criação de outro produto que substituiu o nosso ferro-gusa. Mas, eu acredito também que o mercado já tem reagido", afirmou.

 

 

O vice-presidente financeiro da Acid e sócio da Formatar, Ricardo Oliveira, é o responsável pelas 160 contratações da nova empresa em Divinópolis e fala das expectativas com alta procura pelas vagas. "Nós já recebemos bastante currículos. Tivemos uma grande demanda e até o dia de hoje (11) chegamos a cinco mil currículos. Fazendo uma matemática simples, a cada vaga chegaram 50 currículos, aproximadamente. Por isso, já encerramos a captação de novos currículos.”, ressaltou Oliveira.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.