quarta-feira, 25 de Março de 2015 10:44h Atualizado em 25 de Março de 2015 às 10:47h. Lorena Silva

Obra do Centro Administrativo deve ser finalizada somente no próximo ano

Fases de acabamento e de execução da parte elétrica e hidráulica, por exemplo, devem ter início no próximo mês

Considerada pelo Executivo como uma das obras prioritárias para este ano, a construção do Centro Administrativo – que vai abrigar a maior parte das secretarias e outros setores da administração municipal – deve ser finalizada somente em meados do próximo ano. A previsão foi dada no início dessa semana, pelo superintendente da Usina de Projetos, Rodrigo Resende, que explicou quais etapas ainda devem ser executadas para que o local possa ser inaugurado.
De acordo com o superintendente, praticamente toda a área interna e externa do prédio já foi rebocada, além de já terem sido colocadas as janelas em blindex. As próximas etapas, que devem ser iniciadas nos próximos 30 dias, serão a de acabamento e a execução da parte elétrica, hidráulica e de incêndio. Antes disso, segundo Rodrigo, haverá uma revisão de todos os projetos, no qual os responsáveis pela elaboração vão analisar se há algum problema e se algo precisa ser mudado na proposta inicial.
“Porque nós mexemos demais na estrutura do prédio. Foi criado mais um andar que não estava programado, foi modificado algumas coisas. Isso agora requer que a gente faça uma revisão, principalmente nos projetos, para podermos já executar os serviços lá dentro. Isso pode gerar nos próximos 30 dias uma diminuição dos serviços a serem executados no prédio. Mas assim que acabarmos de fazer essas revisões, a gente vai voltar com força total”, esclarece Rodrigo.

 

O QUE VAI ABRIGAR
Assim que finalizado, o Centro Administrativo vai reunir grande parte das secretarias municipais. De acordo com o superintendente, além do prédio que hoje está situado na Rua Pernambuco e que abriga praticamente todas as divisões do município, o local vai receber alguns setores que atualmente funcionam em outros endereços – como é o caso das Secretarias de Desenvolvimento Econômico (Sedec) e Social (Semds), a Usina de Projetos e a Secretaria de Saúde (Semusa).
No entanto, a Semusa, que hoje funciona em um prédio alugado, na Rua Minas Gerais, não deve mudar de imediato para o Centro Administrativo. Isso porque o prédio onde ela ficará, chamado de Prédio II do Centro e que vai funcionar como uma espécie de anexo, não deve ser finalizado na mesma época do que o Prédio I. Além da Semusa, a Secretaria de Educação                              (Semed) também deve continuar onde atualmente está situada, na Rua Minas Gerais, já que possui um prédio próprio, onde não paga pelo aluguel.

 

RECURSOS
Segundo Rodrigo, todos os recursos gastos na obra são oriundos do próprio município - sendo que um total de aproximadamente R$ 10 milhões já foram gastos desde que a construção teve início, em 2011. Nessa época, a Prefeitura contratou um empréstimo de R$ 5 milhões, junto ao Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG) com o intuito de acelerar o ritmo da obra.
Em dezembro de 2013, o prefeito recebeu o então vice-governador do Estado, Alberto Pinto Coelho, para assinatura de contrato de mais recursos do BDMG. Foram mais R$ 5 milhões destinados à continuidade da construção. Desses R$ 5 milhões, R$ 3,8 milhões já foram utilizados na obra. “A obra está orçada para terminar com [aproximadamente] R$ 5,5 milhões. São R$ 4 milhões de recursos próprios do município e mais R$ 1,2 milhão do financiamento do BDMG”, finaliza Rodrigo.

 

Crédito: Lorena Silva

Leia Também

Imagem principal

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.