quinta-feira, 9 de Janeiro de 2014 05:58h Atualizado em 9 de Janeiro de 2014 às 06:03h. Mariana Gonçalves

Obras do Cemei Anália Nogueira entram na reta final

As obras de construção do Centro Municipal de Educação Infantil (Cemei) Anália Nogueira, está em fase final. A escola funcionava no bairro Icaraí, porém por não ser mais necessária na região já que nas proximidades do bairro está situada outras duas unidades infantis, a Secretaria Municipal de Educação (Semed) decidiu construir no bairro Antônio Fonseca um Cemei e transferir o nome da unidade do Icaraí para este novo prédio.
Conforme a secretária municipal de Educação, Eliana Cançado, a unidade Anália Nogueira  está prevista para iniciar suas atividades na primeira semana de fevereiro. “Inclusive já encaminhamos os cadastramentos da região para esse novo Cemei. O prédio tem capacidade para atender 240 crianças, já temos matriculados 139” conta.
Cançado diz que as obras para conclusão da unidade de ensino infantil já está com mais da metade finalizada. “Faltam poucas coisas e caso ainda sim fique algo sem terminar será apenas do lado externo, como por exemplo, o gramado, mas, garanto que a unidade estará apta a começar suas atividades no dia 04 de fevereiro” destaca.
A partir do dia 10 os equipamentos deverão começar a ser entregues no Cemei, conforme informações da secretária de Educação já foi feito a licitação dos objetos a serem comprados e boa parte já está a caminho. “Mesmo se todos os equipamentos não forem entregues até as primeiras semanas do mês que vem, vamos começar as aulas com as coisas que já temos e a medida que os novos forem chegando nós vamos fazer as trocas” afirma Cançado.  
Além da unidade no bairro Antônio Fonseca para esse ano estão previstos ainda mais três centros na cidade.
Os prédios são projetados para atender crianças de três a cinco anos, a construção é padronizada pelo governo federal. A obra em cada um dos locais, que tem 1.100 metros quadrados, custa R$ 2 milhões. Das cinco mil crianças incluídas na educação infantil em Divinópolis, pelos menos mil devem terminar o ano em uma nova escola.
Para Cançado a educação infantil terá um avanço muito significativo com o ganho dos Cemei’s. “Isso é um grande benefício, já que nós percebemos a necessidade das crianças. Esse espaço é adequado para evolução do processo educacional, pois antes nós tínhamos muitas casas inadequadas, sem a estrutura necessária para o aprendizado e até mesmo atendimento das crianças” completa Eliana.

REESTRUTURANDO O ENSINO INFANTIL

O governo federal criou o Programa Nacional de Reestruturação e Aquisição de Equipamentos para a Rede Escolar Pública de Educação Infantil (Proinfância), por considerar que a construção de creches e pré-escolas, bem como a aquisição de equipamentos para a rede física escolar desse nível educacional, são indispensáveis à melhoria da qualidade da educação.
O programa foi instituído em 2007 e é parte das ações do Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE) do Ministério da Educação. O principal objetivo é prestar assistência financeira ao Distrito Federal e aos municípios visando garantir o acesso de crianças à creches e escolas de educação infantil da rede pública. As unidades construídas pelo Proinfância são unidade de ambientes essenciais para a aprendizagem das crianças, como: salas de aula, sala de informática, bibliotecas, sanitários, fraldários, recreio coberto, parque, refeitório, entre outros ambientes que permitam a realização de atividades pedagógicas, recreativas, esportivas e de alimentação.
Entre 2007 e 2011, o Proinfância investiu na construção de 2.543 escolas, por meio de convênios com os entes federados. Em 2011, o plano foi incluso no Plano de Aceleração do Crescimento (PAC2), e outras 3.135 creches e pré-escolas foram apoiadas com recursos federais, totalizando 5.678 novas unidades de educação infantil em todo o país.  Já para esse ano o Proinfância tem o desafio de apoiar a construção de mais 3.000 creches e pré-escolas.

Leia Também

Imagem principal

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.