quinta-feira, 7 de Janeiro de 2016 09:11h Mariana Gonçalves

Paróquia de São Sebastião se prepara para o início da novena

A tradicional Novena e Festa de São Sebastião será iniciada neste sábado (9), os preparativos seguem a todo vapor, na igreja localizada no bairro Afonso Pena

Esse ano, a festa tem um objetivo bastante especial, alem é claro de homenagear o padroeiro local, a comemoração visa angariar fundos para dar continuidade à reforma da cozinha e do salão da Igreja. “É com muito prazer e um carinho enorme que convidamos a todos os divinopolitanos para virem participar da novena conosco. São Sebastião é o padroeiro dos militares e dos animais”, destacou a membro do Conselho da Igreja, Maria José de Sousa.
Conforme ainda contou Maria José, esse ano, a festa trará, além da história de São Sebastião, um histórico sobre a igreja do padroeiro na cidade, com informações desde o seu fundamento a também os padres que já administraram a instituição. “Estamos preparando uma surpresa para os nossos paroquianos, envolve a história de nossa Igreja, preparamos tudo com muito amor, e com certeza serão momentos inesquecíveis”, afirma.

 

PROGRAMAÇÃO

No dia 9, às 19h30, haverá a Missa de Envio, presidida pelo Pe. Geraldo José Maia (atual pároco local). A celebração será principalmente para aquelas pessoas que atuarão de forma indireta ou direta durante os dias da novena e festa de São Sebastião. Serão consagrados os trabalhos e esforços para a honra e glória do Senhor, com a intercessão do padroeiro.
No dia 10, às 9h, Santa Missa. Às 18h45, Carreata com a imagem do padroeiro pelas principais ruas do Afonso Pena e às 19h30, Santa Missa.
Dia 11, às 18h45, Oração do terço, às 19h30, Santa Missa presidida pelo Pe. Daniel Leão.
O programa completo da festa pode ser obtido na secretaria da paróquia.

 

SÃO SEBASTIÃO

Conforme informações postadas na página virtual da Canção Nova, o santo nasceu em Narbonne. Conta a história que São Sebastião era um soldado que teria se alistado no exército romano e, após conquistar a simpatia dos imperadores Diocleciano e Maximiano, teria se tornado capitão da guarda pessoal. No entanto, a sua conduta pacífica com os prisioneiros cristãos levou o imperador a julgá-lo como um traidor, ordenando a sua execução por meio de flechas.
Dado como morto, São Sebastião foi atirado no rio, sendo socorrido por Santa Irene. Após a recuperação, se apresentou novamente a Diocleciano, que ordenou que ele fosse espancado até a morte. Seu corpo foi jogado no esgoto de Roma, até ser resgatado por Santa Luciana, que o sepultou nas catacumbas.

 

Créditos: Mariana Gonçalves

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.