quinta-feira, 18 de Junho de 2015 12:22h Atualizado em 18 de Junho de 2015 às 12:23h. Mariana Gonçalves

Parque ecológico poderia ser a solução para salvar a Lagoa do Sidil

Não é novidade para ninguém que a Lagoa do Sidil está tomada por aguapés e, a cada dia que passa, ela perde ainda mais o brilho de sua natureza

Diversas notícias já foram publicadas sobre esse problema, mas até hoje tudo continua da mesma forma. A equipe de reportagem conversou com o engenheiro Josias Gomes Ribeiro Filho, que há 20 anos reside no bairro Sidil. Ele falou sobre alguns projetos que deveriam ser executados para realizar o sonho de toda aquela comunidade de salvar a Lagoa.

“Há oito anos, antes da posse do atual prefeito, Vladimir Azevedo, ele colocou em sua plataforma de campanha que criaria aqui o Parque Lago Sidil. Claro que para fazer isso é necessário primeiro fazer diversos trâmites, como a desapropriação do local, pois se trata de uma área particular. Mas sobre o projeto da criação de um espaço ecológico nós, moradores aqui do Sidil, somos muito favoráveis a isso. Seria muito bom e importante, porque Divinópolis é totalmente desprovida de áreas verdes e parques ecológicos, então além de salvarmos essa lagoa que a cada dia que passa morre mais, estaríamos contribuindo para preservação da natureza existente no nosso município”, afirma.

Há algum tempo, houve especulações de que o local se tornaria um condomínio fechado. Josias diz que se essa ação acontecer de forma que não prejudique a Lagoa e nem parte da vegetação que o terreno abriga, a população também se sentiria satisfeita, já que mesmo visando o lado financeiro ainda sim a natureza estaria salva.

O engenheiro lembra a época em que a Lagoa era um local agradável onde famílias e amigos se concentram para um dia em meio a natureza. “Quando eu mudei para cá, isso há vinte anos, era comum as pessoas pescarem nesse lago, inclusive tinha aqui uma população bastante considerável de peixes, animais e pássaros de grande porte, que sempre procuravam esse lago para se alimentar. Entretanto, de uns três, quatro anos para cá, desapareceu todo espelho d'água que foi ocupado por aguapés, e isso vem crescendo a cada dia que passa por causa da poluição orgânica que é lançada diretamente na  Lagoa. É quase impossível ver a lagoa, o que vemos é um tapete de plantas que antes era da cor verde e agora está na cor marrom”, pontua.

PREFEITURA

Recentemente, a Prefeitura de Divinópolis nos informou, por meio de nota, que a Lagoa do Sidil foi incluída no Plano Diretor. Um diagnóstico começou a ser realizado para delimitar o perímetro do local e definir a proposta de recuperação.

 

Crédito: Mariana Gonçalves

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.