sexta-feira, 6 de Setembro de 2013 06:25h Daniel Michelini

“Patrulha do Sossego” voltará a ser imposta na semana que vem

Fiscalização começará na próxima semana. O objetivo é coibir transtornos causados por som alto.

Durante os finais de semana, principalmente, diversas pessoas procuram bares e restaurantes para descansar da jornada de estudos e trabalhos, reunindo-se com família, amigos e até mesmo companheiros de profissão, no chamado ‘happy hour’. Contudo, a diversão pode acabar em transtorno.

 


Algumas conversas de barzinho são frequentemente ofuscadas pelos carros que param na porta dos estabelecimentos e colocam som alto como forma de diversão, especialmente para as pessoas mais jovens. Entretanto, sem pensar nas consequências e no bem estar dos clientes dos bares e moradores das regiões, os envolvidos não se importam com o incômodo e, na maioria das vezes, se recusam a desligar ou abaixar o som sem que uma atitude mais drástica seja tomada. Em certos lugares, isso vira motivo de briga. Além disso, os bares perdem sua clientela.

 


Para que isso diminua, o programa ‘Patrulha do Sossego’, desenvolvido através de uma parceria entre a Secretaria Municipal de Planejamento Urbano e Meio Ambiente, Polícia Militar e Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (Settrans) será reativado a partir da semana que vem, mas sem data definitiva. É o que garante Willian Araújo, secretario municipal de Meio Ambiente, em Divinópolis.

 


Iniciada em 2010, a operação promovia blitze em dias alternados e tem por objetivo fiscalizar veículos e estabelecimentos comerciais com som alto que trazem transtornos à população. Se a PM recebe uma denúncia toda a patrulha se move até o local, para resolver a situação.

 


Dados da Settrans apontam que em 2010, primeiro ano do projeto, foram realizadas 52 fiscalizações, ou seja, a patrulha trabalhou intensamente nestes dias. Foram realizadas 1075 fiscalizações em veículos automotivos, 339 em estabelecimentos e 279 multas foram realizadas.

 


Segundo Willian, já existem algumas denúncias na Secretaria de Meio Ambiente, e essas regiões estão sendo estudadas para uma possível blitz. Contudo, a equipe procura não divulgar as ações promovidas durante a semana com o intuito de aparecer de surpresa, não dando oportunidade de fuga às pessoas envolvidas em tal ação. O uso de alto som pode ser incluso como crime ambiental, sujeito a pagamento de multa no valor de R$542 à secretaria, além das punições impostas pela polícia e Settrans. “Existem fiscalizações feitas durante o dia, mas a patrulha é diferente, pois ela trabalha durante a parte da noite. Assim, trabalharemos para coibir, o máximo possível, essas ações”, disse Willian.
O secretário revela que a maior parte das reclamações é de origem da região central. “É onde há uma grande concentração de bares e restaurantes. Muitos moradores reclamam conosco sobre isso”. Outra região constantemente alvo de reivindicações é a do Bom Pastor.

 


Para concluir, Willian Araújo afirma que, durante os finais de semana, a pessoa que precisar fazer uma denúncia deverá comunicar a polícia através do 190 ou fazer uma denúncia anônima, ligando no 181.

Leia Também

Imagem principal

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.