quarta-feira, 17 de Agosto de 2016 13:52h Mariana Gonçalves

Personalidades que marcaram história em Divinópolis são homenageadas em álbum de figurinhas

Três anos, esse foi o tempo total gasto pelo historiador Welber Skaull na pesquisa e elaboração da lista contendo diversas personalidades que, de alguma forma, fizeram história em Divinópolis.

POR MARIANA GONÇALVES

mariana.goncalves@gazetaoeste.com.br

 

Todo esse trabalho se resultou no álbum de figurinhas ‘Divinópolis Cromos’, uma forma divertida e cultural de trazer para os dias atuais lembranças de uma boa parte da história do município.

“A história de Divinópolis é encantadora, mas tem muitas lacunas, por exemplo, as pessoas conhecem o bairro Danilo Passos, mas quem foi Danilo Passos? Conhecem a Escola Martin Cyprien, mas quem foi Martin Cyprien? Cito também o Antônio Eustáquio, que foi um dos fundadores do Jornal Agora, posteriormente, fundou o Gazeta do Oeste, hoje comandado pelo seu filho Fernando, então, temos grandes pessoas que ninguém consegue materializar o rosto delas, e essas pessoas não podem cair no esquecimento, aliás, nem só pessoas, fotos antigas de momentos importantes da cidade também”, destacou o autor do projeto.

Para Welber, o álbum, além de ser uma forma de recordação, irá contribuir até mesmo para o aprendizado das futuras gerações, sendo um material de pesquisa sobre a história da cidade. “Tem uma ilustração do Candidés, quem foi Candidés, até porque o Candidés é uma polêmica para mais cem anos, uns defendem que ele era índio, outros acreditam que ele veio fugido da guerra dos emboabas – que, aliás, é a tese em que também acredito, mas respeito às outras”, acrescenta.

O álbum será lançado oficialmente na Flid, podendo ser adquirido na festa literária, no Teatro Usina Gravatá, ou a partir de domingo, nas bancas de jornais e revistas do Centro. “O álbum e as figurinhas serão vendidos a preços bastante acessíveis. Uma coisa eu garanto, 99,9% dos envelopes não têm figurinhas repetidas, serão cinco figurinhas diferentes, para incentivar as pessoas no sentido de completar o álbum e até mesmo trocar figurinhas”, diz o historiador.

 

A OBRA

 

O álbum foi financiado pelo próprio autor, segundo ele, foi necessário abrir mão de vários gastos pessoais para que esse projeto de fato se tornasse realidade. Um esforço que o autor não se arrepende de ter feito. Foram rodados mil exemplares do álbum. “Esse álbum contém mais de trezentos nomes, sendo pessoas populares, do meio empresarial, político, cultural e artístico, da educação. O Jacaré do Estrela, por exemplo, que, aliás, foi um dos fundadores do Divinópolis Clube, a Xuxu Beleza, o José Alonso, que é um empreendedor histórico na cidade, temos também o Arlindo Bigode, que tinha a banda Os Santinhos, Maria Cândida, jornalista polêmica na cidade, o Ricardo da Ricardo Eletro, o Valdemar do ABC, entre muitos outros nomes de importância” contou o autor.

 

SUGESTÕES

 

De acordo com Welber, vários outros nomes de destaque na cidade não entraram nesta primeira edição do álbum, ou pela falta de material histórico disponível sobre a pessoa/ personagem ou em alguns casos porque as famílias de algumas dessas personalidades optaram pela não autorização de divulgação. “O Tareco é um personagem folclórico da cidade, mas não temos nenhum desenho dele, nada que nos lembre de como ele era, então era preciso achar um desenhista da época que conseguiria fazer que seja uma charge do Tareco, para, numa próxima edição, colocarmos”, frisa.

Mas o historiador já deixa avisado que possivelmente uma segunda edição deste álbum de figurinhas será projetada a partir do ano que vem, e até deixou um recado aos divinopolitanos. “Aceito sugestões, se alguém achar que tiveram nomes que eu não incluí, pode me ligar 37 9 8417 4994, que conversamos. Convido também as pessoas a estarem presentes na Flid, no sábado, às 9h30, para o lançamento do álbum. É um filho que está nascendo”, completa Welber.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.