terça-feira, 11 de Outubro de 2016 18:02h Pollyanna Martins

Pesquisa da CDL Divinópolis aponta que pais pretendem gastar até R$ 50 no presente das crianças

De acordo com a Fundação Getúlio Vargas (FGV), a intenção de compras para o Dia das Crianças é a menor em 11 anos

POLLYANNA MARTINS
pollyanna.martins@gazetaoeste.com.br

 

Neste ano, as crianças vão ter que se contentar com um presente mais simples no dia 12 de outubro. De acordo com uma pesquisa feita pela Câmara dos Dirigentes Lojis­tas (CDL) Divinópolis, os pais pretendem gastar, neste ano, no máximo R$ 50 no presente para o Dia das Crianças. Se­gundo o levantamento feito pela CDL, 46,2% dos entrevis­tados disseram que vão gastar até R$ 50 no presente para as crianças e 41% responderam que pretendem gastar até R$ 100. Ainda de acordo com a pesquisa, 71,7% dos entrevis­tados pretendem presentear neste Dia das Crianças e 28,3% disse que não.

Conforme a Sondagem do Consumidor do Instituto Bra­sileiro de Economia da Fun­dação Getulio Vargas (FGV/Ibre), esta é a menor intenção de compras para o Dia das Crianças dos últimos 11 anos. Segundo a pesquisa feita pela FGV, 44,9% dos entrevistados pretendem reduzir os gastos em relação ao ano anterior, frente aos 41,1% verificados na sondagem de 2015. Ainda de acordo com o levantamento, o grupo que pretende gastar a mesma quantia caiu de 54,8% para 50,8%, enquanto os que pretendem gastar mais representam 4,2% dos consu­midores, quantidade estável na comparação com o ano anterior. Segundo a pesquisa da CDL Divinópolis, apenas 12,8% dos entrevistados dis­seram que irão gastar acima de R$ 100 no presente do Dia das Crianças.

Em nota, a coordenadora da Sondagem do Consumidor, Viviane Seda Bittencourt, disse que o mercado de trabalho, ainda em fase descenden­te, influencia diretamente às famílias a gastarem me­nos. "Esse resultado reflete à cautela das famílias com o orçamento doméstico, que ainda está comprometido com prestações de compras ante­riores", explica. A empresária Juliana Cardoso é mãe de duas meninas e conta que todos os anos gastava em torno de R$ 300 no presente do Dia das Crianças para a filha. Com a crise econômica que o Brasil enfrenta, a empresária diz que, neste ano, o orçamento caiu pela metade. “Já estabeleci e expliquei para as duas que nesse ano é R$ 150 o máximo que eu vou gastar em brinque­dos. Geralmente, neste dia nós saíamos, íamos ao shopping para elas poderem brincar e isso também mudou. Este ano vamos fazer um almoço gostoso, brincadeiras em casa, tudo para não gastar muito”, relata.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.