segunda-feira, 16 de Setembro de 2013 08:26h Atualizado em 16 de Setembro de 2013 às 12:38h. Mariana Gonçalves

Pesquisa sobre saúde é realizada em Divinópolis

Em parceria com o Ministério da Saúde (MS) o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) realiza, em todo o país, a Pesquisa Nacional de Saúde (PNS). O projeto fará parte do Sistema Integrado de Pesquisas Domiciliares (SIPD) do IBGE (SIPD, 2007

Em parceria com o Ministério da Saúde (MS) o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) realiza, em todo o país, a Pesquisa Nacional de Saúde (PNS). O projeto fará parte do Sistema Integrado de Pesquisas Domiciliares (SIPD) do IBGE (SIPD, 2007) e deverá ter uma periodicidade de cinco anos. Para a execução da pesquisa, foi constituída uma equipe de coordenação da PNS, com membros do MS e do IBGE.

 


Em Divinópolis conforme informações da equipe local do IBGE foram escolhidos13 domicílios no qual a coleta de dados e medidas biométricas já estão em fase de finalização.
Para produzir os melhores dados sobre a saúde e o estilo de vida dos brasileiros, o questionário foi elaborado da seguinte forma: primeiro, são feitas perguntas sobre o domicilio, como, por exemplo, abastecimento de água, posse de animais de estimação, ocorrência de visitas de equipes de saúde da família, entre outras. A seguir, as perguntas se referem a cada um dos moradores do domicílio. São perguntas sobre características gerais (sexo, idade, estado civil, entre outras), educação, trabalho, rendimento, deficiência, plano de saúde, utilização de serviços de saúde e saúde de crianças e idosos.
No momento da entrevista, um morador maior de idade será selecionado aleatoriamente pelo computador de mão para responder outro questionário com perguntas sobre trabalho, estado de saúde, acidentes, estilos de vida (consumo de bebidas alcóolicas, prática de atividades físicas e fumo, por exemplo), doenças crônicas, saúde da mulher, atendimento pré-natal (quando for o caso), saúde bucal e atendimento médico. Serão tiradas as medidas antropométricas e de pressão, e o entrevistador também pedirá informações para contatos futuros, sempre garantido o sigilo do informante.

 


Se for necessário, o entrevistador fará mais de uma visita ao domicílio para completar a pesquisa.
Coleta de material para os exames laboratoriais é feita em casa, além do questionário e das medidas, serão realizados exames de sangue e urina em 25% das áreas visitadas pelos pesquisadores do IBGE, selecionadas aleatoriamente. Na amostra de sangue, serão feitos exames de hemoglobina colesterol, hemograma, hemoglobina S e outras hemoglobinopatias, creatinina e sorologia da dengue; na urina, serão analisadas a dosagem de sódio, de potássio e creatinina.

 


Até novembro, cerca de 1.000 entrevistadores visitarão 80 mil domicílios em 1.600 municípios em todo o país, para conhecer a saúde e o estilo de vida da população. A pesquisa também tem como objetivo produzir dados sobre acesso e uso dos serviços de saúde, ações preventivas, continuidade dos cuidados e financiamento da assistência de saúde.

 


A PNS dará suporte a diversas políticas públicas, como o Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência, o Plano de Ações Estratégicas para o Enfrentamento de Doenças Crônicas Não-Transmissíveis, Brasil Sorridente, a Rede Cegonha e outras.

 


É importante ressaltar que todas as informações coletadas pela PNS, inclusive os resultados dos exames laboratoriais, têm sua confidencialidade garantida pela lei do sigilo da informação estatística (Lei nº5534) e só podem ser utilizadas para fins estatísticos.

 


A população deve ter atenção para não cair em golpes, pois todos os entrevistadores deverão portar o crachá do IBGE e o equipamento eletrônico de coleta de dados (computador de mão). Caso haja duvida o cidadão poderá confirmar a identidade do entrevistador por meio do telefone: 0800 721 8181.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.