sexta-feira, 12 de Maio de 2017 08:31h Roberto Clementino

Política & Cia por Roberto Clementino

MORO X LULA: EX-PRESIDENTE PERDEU A CHANCE DE SE DEFENDER.

A audiência com o Juiz Sérgio Moro era a oportunidade para Lula se defender. Mas, ele se limitou à negativa. Afinal, o Juiz tem em mãos o processo, que pode ou não incriminar o Ex-Presidente. O que o Magistrado queria nesse depoimento era a versão de Lula para os fatos que o MPF e Polícia Federal investigaram e que o MPF denunciou.

A impressão que ficou da atuação de Lula no interrogatório foi a de que a sua Assessoria Política sobrepôs a preocupação com a assistência jurídica: PT e Cia acharam que o depoimento de Lula seria transformado em um comício eleitoral. Mas, o Juiz Moro não permitiu que Lula fugisse do “depoimento meramente processual”. A diferença entre a estratégia de Lula e a do Juiz Moro era evidente: o Juiz, um dia antes, já alertava ao dizer o seguinte sobre o depoimento de Lula, em Curitiba:

“Preocupa-me essa elevada expectativa em relação a algo que pode ser extremamente banal. E diga-se: nada de conclusivo vai sair nessa data", asseverou. Sem citar o nome de Lula – chamou-o apenas de "o acusado"–, o juiz afirmou que, apesar das expectativas, o depoimento é "normal dentro do processo". Mas o PT queria Showmício!

MORO X LULA: DUAS DERROTAS DO PT E CIA

Para o Juiz Sergio Moro, o depoimento de Lula no dia 10 de maio era “algo que pode ser extremamente banal”, ou seja, ato rotineiro e natural.

Apenas mais um depoimento dentro do processo sobre o tríplex do Guarujá.

Para Lula e Cia, não! E por isso, em minha opinião, Lula não aproveitou a oportunidade para esclarecer as dúvidas do Juiz. PT, CUT e MST falharam ao tentar mostrar um poder de mobilização popular que não têm mais. As manchetes nos jornais, dias antes do depoimento, estampava ameaças do MST : Stédile prometia levar vinte mil militantes a Curitiba. Já a CUT e MTST e militantes das esquerdas diziam que iam invadir Curitiba. Seria uma invasão vermelha.

O que se viu foi fiasco! Segundo a Polícia Militar e a Polícia Federal, as forças da esquerda levaram a Curitiba apenas em 6,7 mil militantes pró-Lula e explicam: foram 168 ônibus que chegaram à capital paranaense. Segundo a nota, cada ônibus transportava em média quarenta passageiros – o que resultaria em 6,7 mil manifestantes que chegaram a Curitiba de ônibus. Quando a CUT, PT, MST, MTST ameaçaram levar a Curitiba, 30. 50 ou 100 mil militantes, estavam blefando.

E AGORA, LULA ?

Com o interrogatório do ex-presidente Lula, na tarde dessa quarta-feira (10), encerra-se a fase da instrução criminal da ação penal a que responde o ex-presidente na 13ª Vara Federal em Curitiba. Agora, o juiz Sérgio Moro abrirá vistas à acusação e à defesa para apresentarem as alegações finais. Satisfeita essa parte, os autos serão conclusos ao juiz que passará a examinar todo o processo, para confrontar os fatos denunciados com a prova e, finalmente, proferir sentença, condenatória ou absolutória.

Se a decisão for condenatória, o juiz especificará o regime de prisão aplicável (aberto, semiaberto ou fechado) e, ainda que fechado, poderá permitir que o ex-presidente Lula recorra da decisão em liberdade ao TRF-4ª (Tribunal Regional Federal), da 4ª Região. E somente na hipótese de decisão condenatória em regime fechado, mantida por esse Tribunal, o réu irá à prisão, em relação ao caso presente.

© 2009-2020. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.