terça-feira, 24 de Março de 2015 10:38h Atualizado em 24 de Março de 2015 às 10:40h. Mariana Gonçalves

População denúncia precariedade do imóvel utilizado para a saúde em comunidade rural

O Gazeta do Oeste recebeu algumas denúncias referentes à situação física do imóvel utilizado para atendimentos à saúde, na Comunidade do Córrego Fundo

Em volta do local, a quantidade de mato chama a atenção, inclusive, um registro fotográfico mostrou a presença de animais como cavalos e bois pastando dentro do lote da unidade de saúde. Já dentro das dependências do imóvel, os problemas são muitos, telhas quebradas, infiltrações como consequência, paredes mofadas, móveis quebrados, sanitários com defeitos, sendo até necessário um remendo improvisado na caixa de descarga.
A reportagem conversou o Gerente de Infraestrutura da Rede de Atenção Básica, Wanderson Teixeira de Freitas, o qual primeiramente explicou que o imóvel utilizado para atendimentos de saúde da população do Córrego Falso é um ponto de apoio, não é uma unidade tradicional de saúde, no entanto, a demanda referente à infraestrutura do local já é de conhecimento da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa). “Nossa equipe esteve no local, verificou a necessidade de uma capina ao redor da unidade de apoio, como também questões relacionadas à troca de telhado, pintura nas paredes, entre outras coisas. Mas a partir dessa verificação, já estamos fazendo processo de aquisição desses materiais para que possamos fazer essa manutenção”, acrescenta.
No entanto, Wanderson diz que não pode precisar prazos para que todos os problemas do local estejam sanados. “Não vou colocar um prazo, porque isso depende de vários fatores, primeiramente a aquisição do material que já está em andamento, e depois o deslocamento da equipe para fazer o trabalho em loco, esperamos que nos próximos meses, a gente consiga dar uma resposta para aquela comunidade”, afirma.
Ainda segundo o gerente, a assistência à população na prestação dos serviços de saúde, não deixou de ser feita, a equipe atende na unidade somente as quintas-feiras.
 

 

MANUTENÇÃO

A Semusa desenvolveu uma equipe composta por bombeiro hidráulico, pedreiro, eletricista, dentre outros profissionais, para atuar nos serviços de manutenção das unidades de saúde, o trabalho foi firmado há pouco tempo, e tem como objetivo contribuir com o funcionamento dos trabalhos de saúde, por meio das melhorias no sistema físico dos imóveis de saúde. “Nossa cidade possui uma grande quantidade de unidades de estratégia de saúde da família, em torno de 43 fixas, além dessas, que são pontos de apoio como a do Córrego Falso, reconhecemos que existe a necessidade de se visitar todas as unidades, mas ainda isso não é possível, porém, estamos fazendo de tudo para que nenhuma delas fique desassistida”, pontua Wanderson. 
Unidades de saúde como a do bairro Planalto e Bom Pastor passaram recentemente por obras de revitalização, a intenção é que os demais postos de saúde da cidade também recebam melhorias.

 

Crédito: Arquivo Pessoal

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.