terça-feira, 3 de Setembro de 2013 05:18h Daniel Michelini

População poderá acompanhar audiência sobre tratamento de esgoto

Motivo de polêmica na cidade, audiência sobre o assunto poderá ser acompanhada pela população, na sede da Funedi/UEMG, á partir das 14h.

Diversos moradores divinopolitanos que reclamam da suposta indefinição quanto ao serviço de coleta e tratamento de esgoto terão a chance de manifestarem suas opiniões hoje, ás 14h, durante a audiência pública a ser realizada pela Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), na sede da Funedi/UEMG, bairro Jardim Belvedere.

 


Motivo de polêmica na cidade, o tratamento de esgoto, que seria feito pela Copasa, foi repassado para outra empresa, que deverá ser apresentada nessa audiência pública de hoje. Em janeiro de 2012, a Copasa iniciou a operação do sistema de esgotamento sanitário da cidade, executando cerca de mil novas ligações de esgoto, além de aproximadamente cinco mil outros serviços, incluindo trabalhos de desentupimento e correção de vazamentos de esgoto em redes e ligações. A companhia realizou também reformas visando melhorias em quatro Estações de Tratamento de Esgoto (ETE) de pequeno porte, que já existiam em Divinópolis.

 


No mês passado, em coletiva concedida na sede da Copasa, em Divinópolis, o presidente da companhia, Ricardo Simões, revelou que o processo de tratamento de esgoto será feito através de uma outra empresa, parceira da Copasa, num procedimento chamado de PPP (Parceria Público-Privada). De acordo com o site PPP Brasil, o contrato de concessão administrativa tem prazo de vigência de 27 anos e o seu valor estimado é de R$ 426.930.137,00.

 


A primeira Estação de Tratamento de Esgoto a começar a funcionar será a do Rio Pará, situada na região do bairro Centro Industrial. A previsão é de que comece a funcionar ainda este mês e que atenda a, pelo menos, 47 mil pessoas em toda a cidade.
Atualmente, as contas de água são destinadas ao consumidor cobrando 50% a mais do valor total da fatura, devido ao serviço de coleta de esgoto. O novo aumento (90%) será feito na medida em que as regiões forem contempladas com o serviço de tratamento de esgoto.
A Copasa estuda ainda criar uma Estação de Tratamento de Água (ETA) próximo à Bacia do Rio Pará, fazendo com que a demanda exigida da estação do Rio Itapecerica diminua, desafogando o serviço no local.

Leia Também

Imagem principal

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.