quinta-feira, 22 de Janeiro de 2015 09:48h Atualizado em 22 de Janeiro de 2015 às 09:50h. Jotha Lee

Prefeito autoriza licitação para conclusão de obras da Rua Pains

Ministério Público Federal investiga atraso na conclusão do serviço

As obras de drenagem, pavimentação e sinalização da Rua Pains, ligando a Avenida Sete de Setembro à Rua Mato Grosso, no bairro Afonso Pena, nas proximidades do quartel do 23º Batalhão da Polícia Militar, previstas para serem concluídas em fevereiro do ano passado, devem estar prontas em junho e poderão fazer partes do programa de aniversário da cidade. Foi o que garantiu ontem o Superintendente da Usina de Projetos, o vice-prefeito Rodrigo Resende (PDT).
Apontadas pelo prefeito Vladimir Azevedo (PSDB) como uma das prioridades de seu governo, as obras foram iniciadas em 2013, dois anos após a assinatura do contrato para liberação de recursos do Ministério das Cidades, via Caixa Econômica Federal (CEF). A ordem de serviço para início das obras foi assinada pelo prefeito no dia 17 de junho daquele ano.
Com pouco mais de 350 metros de extensão, o custo inicial foi estimado em R$ 599,8 mil, dos quais R$ 490 mil financiados pela CEF e o restante em contrapartida do município. São 633 metros lineares de drenagem pluvial, 5,7 mil metros quadrados de pavimentação asfáltica e 1,5 mil metros quadrados de passeio, além da construção de bueiros e outros elementos de escoamento de água e de urbanização.
Dois anos após a assinatura do contrato para a liberação do financiamento pela CEF, no dia 25 de maio de 2013 a empreiteira Saneinfra Engenharia e Construções venceu a licitação para a realização da obra, entretanto, pediu a rescisão contratual antes de finalizar o serviço. Segundo Rodrigo Resende, a Saneinfra realizou 95% da obra, na parte de infraestrutura.
“A empresa acabou desistindo por não ter condições técnicas para colocar a pavimentação asfáltica, pois teria que terceirizar o serviço por não dispor dos equipamentos necessários e isso elevaria muito seus custos”, explicou o vice-prefeito. “A obra acabou sendo paralisada e só no final do ano passado a empresa comunicou que não faria a parte asfáltica da Rua Pains. Decidimos aceitar a rescisão do contrato, pois essa é uma obra muito importante para a população e temos urgência em concluí-la”, acrescentou.

 

INQUÉRITO CIVIL
A situação da Rua Pains hoje gera muitos transtornos à população. No meio da via há um enorme volume de terra que corta toda a extensão da rua e o elevado número de veículos que passam pelo local provoca muita poeira, afetando dezenas de moradores que residem no entorno. No cruzamento da Pains com a Sete de Setembro, a placa, já no meio do matagal, anuncia o início da obra para o dia 17 de junho de 2013 e conclusão para 16 de fevereiro do ano passado.
Diante desse atraso e da paralisação das obras, o procurador da República em Divinópolis, Gustavo de Carvalho Fonseca, instaurou inquérito civil para apurar as causas da suspensão do serviço. A investigação está em sua fase inicial e o procurador já solicitou a cópia do contrato entre o município e a empreiteira Saneinfra Engenharia, além de informações à Caixa Econômica Federal e ao Ministério das Cidades.
Ocorre que Vladimir Azevedo já tomou as medidas para a continuidade das obras de abertura da via e pretende fazer isso antes da continuidade do inquérito aberto pelo procurador federal. Na segunda-feira passada ele assinou autorização para abertura do processo licitatório para o asfaltamento e acabamento do serviço de infraestrutura.
“Esse processo deve durar entre 30 e 40 dias e como falta pouca coisa para finalizar a obra, acredito que até junho tudo estará concluído”, assegurou o Rodrigo Resende. “Vamos colocar a inauguração no programa de aniversário da cidade esse ano”, finalizou.

 

Crédito: Jotha Lee

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.