terça-feira, 18 de Fevereiro de 2020 18:54h Portal G37

Prefeito de Divinópolis esclarece impasse sobre recursos indicados ao município.

Galileu esclareceu a verdade dos fatos e explicou que, em nenhum momento, a administração se recusou a assinar a documentação para a liberação da verba.

O Prefeito Galileu Machado recebeu mais uma vez a imprensa em seu Gabinete. Desta vez, em pauta, informações infundadas que circularam ontem sobre um possível desinteresse do município em relação a recursos federais indicados pelo Senador Carlos Viana para a compra de uma usina de asfalto. Galileu esclareceu a verdade dos fatos e explicou que, em nenhum momento, a administração se recusou a assinar a documentação para a liberação da verba.

 

“O que existe é um mal entendido em toda essa história. Ou alguém querendo jogar a população contra a Prefeitura. No início do ano, recebi aqui em meu Gabinete o Deputado Estadual Cleitinho para falar da destinação dessa usina. Expliquei para ele que se trata de uma estrutura extremamente onerosa e que seria subtilizada, caso fosse implantada aqui”, disse o Prefeito. Segundo Galileu, o deputado entendeu essa situação e eles, então, decidiram trocar o objeto do convênio. Ao invés de usina de asfalto, Divinópolis receberia o valor em para a compra de máquinas pesadas e caminhões. “O próprio Deputado gravou um vídeo, aqui no meu Gabinete, confirmado esse nosso acordo”, ratificou Galileu.

 

Porém, ao receber a documentação, a assessoria jurídica da Prefeitura descobriu que objetivo do convênio ainda era a usina de asfalto. Ou seja, se a Prefeitura assinasse os documentos, estaria obrigada a receber a usina. E mais: uma cláusula proibia a futura troca já ajustada. “O que nós fizemos não foi abrir mão da verba, mas responder ao Senador informando dessa situação. Estamos solicitando que ele tente alterar essa cláusula para que possamos assinar”, informou Galileu Machado.

 

Segundo o Prefeito, está provado que Divinópolis não tem estrutura para receber e manter a usina. Ele também desafiou os que tentam tirar proveito político dessa situação a mostrar uma cidade de Minas que mantenha esse tipo de usina em funcionamento. “Não é viável economicamente. Só seria interessante se fosse gerida por um consórcio intermunicipal”, disse aos jornalistas.

 

Galileu acrescentou ainda que já estão em fase de licitação as obras de recapeamento das principais vias da cidade. “A abertura do processo será no dia 20 de março. Com isso, a usina oferecida ficaria ainda mais subutilizada”. O Prefeito concluiu a entrevista informando que os ofícios comunicando essa realidade já foram enviados ao Senador Carlos Viana e ao Deputado Cleitinho. Estamos aguardando essa alteração para que possamos assinar o convênio.

 

“Os municípios mineiros estão sem nenhuma capacidade de investimento e todo recurso é fundamental. De forma alguma abriríamos mão de uma verba tão importante. Queremos muito esse recurso. Mas queremos para aquilo que é uma necessidade, não para aumentar nossos problemas”.

© 2009-2020. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.