sexta-feira, 15 de Julho de 2016 15:52h Prefeitura de Divinópolis

Prefeitos definem ir ao Estado para cobrar data de início do Samu

O Prefeito de Divinópolis e presidente o Consórcio Intermunicipal de Saúde da Região Ampliada Oeste para Gerenciamento dos Serviços de Urgência e Emergência (Cis-Urg), Vladimir Azevedo, comandou na manhã desta sexta-feira (15/07) uma reunião deliberativa

O Prefeito de Divinópolis e presidente do Consórcio Intermunicipal de Saúde da Região Ampliada Oeste para Gerenciamento dos Serviços de Urgência e Emergência (Cis-Urg), Vladimir Azevedo, comandou na manhã desta sexta-feira (15/07) uma reunião deliberativa com o conselho do órgão. Com tudo pronto para funcionar e dependendo do Estado, prefeitos prometem ir à sede do Governo de Minas Gerais cobrar início do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

 

Vladimir Azevedo destacou que está tudo pronto para o Samu começar a funcionar na região. “Entendemos que agora está tudo pronto. Central de regulação, pessoal treinado e capacitado e chegaram sete ambulâncias. Sabemos que 24 ambulâncias estão prontas. Agora, queremos a resposta definitiva do Estado, solicitamos a data”, cobrou o prefeito, confirmando uma visita com todos os prefeitos à sede administrativa do governo mineiro.  

 

O presidente do Cis-Urg destacou que promete ir à capital com todos os prefeitos cobrar uma posição definitiva do Governo de Minas. “Está sendo oficializado ao Governo de Estado e aos secretários cabíveis, ao Governador e o vice-governador para que no máximo no mês de agosto esteja rodando. Caso não ocorra daremos os desdobramentos devidos”, afirmou.

 

Vladimir destacou que os municípios integrantes do consórcio contribuem mensalmente para dar garantias financeiras ao Samu. “Em dois anos os municípios contribuem, fizeram todo o arranjo jurídico, financeiro e administrativo. De início pagaram cinquenta centavos por habitante para estruturar o serviço e formatar o consórcio. Desde o início deste ano pagam R$ 0,25. Divinópolis, por exemplo, paga mais de R$ 50 mil por mês e outros municípios cada um pagando dentro da sua proporção com garantias orçamentárias. Agora, esperamos a resposta do estado para ter o serviço rodando para beneficiar os 53 municípios da macro-oeste”.       

 

O secretário executivo do Cis-URg, José Márcio Zanardi, confirmou que o Samu já poderia salvar vidas. “Esperamos que o governo repasse os recursos necessários para o funcionamento do Samu. Houve um investimento muito grande das Prefeituras. Tá tudo pronto e podemos, com o serviço funcionando, evitar óbitos. Esse é o nosso objetivo: salvar vidas. Serviço paralisado significa pessoas morrendo”, destacou Zanardi. 

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.