segunda-feira, 20 de Julho de 2015 10:53h Atualizado em 20 de Julho de 2015 às 10:58h. Pollyanna Martins

Prefeitura atrasa salário dos funcionários do abrigo feminino da Missão Maria de Nazaré

Devido ao atraso, funcionários ameaçaram paralisar os serviços

A Prefeitura de Divinópolis atrasou mais uma vez o convênio com a Associação Missão Maria de Nazaré, que arca com o salário dos abrigos masculinos e femininos da instituição. Não é a primeira vez que a situação acontece. A Gazeta do Oeste relatou o problema há 30 dias quando, na ocasião, os funcionários do abrigo feminino estavam há dez dias sem receber o salário do mês.
Segundo o missionário Matheus Henrique Dias, cansados da constante situação, os funcionários, que estão há 11 dias sem o pagamento, ameaçaram paralisar os serviços. O missionário conta ainda que a administração do abrigo procurou a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (Semds) na manhã de ontem para ter uma previsão de quando o salário seria depositado e receberam a seguinte resposta “não tem previsão, pois nós não temos dinheiro”. “Dia 14 [de julho], eles [Semds] pagaram o convênio do abrigo masculino, e ainda não pagaram o convênio do abrigo feminino. Entramos em contato com o pessoal da Prefeitura e falaram que não tem previsão de pagamento”, relata.
Cansados da situação que se repete todo mês, os funcionários do abrigo ameaçaram paralisar os serviços. De acordo com Matheus, o salário dos trabalhadores já ficou até dois meses atrasados e geralmente é depositado por volta do dia 20, quando a lei estabelece que seja até o 5º dia útil. “São pais de família, são mães que pagam juros de cartão de crédito, de boleto de faculdade, de água, luz, aluguel e o salário é o mesmo independente dos juros que eles pagam. Os funcionários ameaçaram parar semana que vem, e isso nos preocupa porque nós somos uma equipe”, reclama.
Ao todo, são 21 funcionários responsáveis pelo abrigo, divididos em coordenador, psicólogo, assistente social, educador social, cozinheira e cuidador social. O missionário explica que o serviço deveria ser feito pela Prefeitura de Divinópolis, porém, sem estrutura, o órgão procurou o projeto Missão Maria de Nazaré para desenvolver o trabalho com as meninas, uma vez que o projeto já era feito desde 2012 com os meninos. “Quem deveria oferecer esse serviço era a Prefeitura, eles terceirizam porque sai mais barato para eles. Eles nos ofereceram a parceria e não estão cumprindo com a parte deles. Nós trabalhamos com adolescentes desde 2008, então por saber que nós tínhamos o trabalho, e tinha um bom resultado, eles no procuraram para que a gente desenvolvesse os abrigos. O salário atrasado nos preocupa, porque nós não podemos falar para os nossos funcionários esperarem até uma data, simplesmente não tem previsão”, desabafa.

 

PREFEITURA
Nossa reportagem entrou em contato com a Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Divinópolis, mas fomos informados que o posicionamento sobre o assunto só será divulgado na segunda-feira.

 

Crédito: Missão Maria de Nazaré

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.