quinta-feira, 9 de Junho de 2016 13:27h Atualizado em 9 de Junho de 2016 às 15:19h. Jotha Lee

Prefeitura contrai empréstimo de R$ 2 milhões para conclusão da primeira etapa do Centro Administrativo

Obra que vai abrigar parte da administração municipal será paga pelos próximos prefeitos

POR JOTHA LEE

jotalee@gazetaoeste.com.br

 

O prefeito Vladimir Azevedo (PSDB) acaba de contrair um novo empréstimo no valor de R$ 2 milhões, junto ao Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG). O dinheiro será utilizado para a conclusão da primeira etapa das obras do Centro Administrativo e foi proveniente do programa "BDMG Municípios 2015", cujo edital foi lançado em agosto do ano passado.  A prefeitura já havia contraído junto ao mesmo banco um empréstimo de R$ 5 milhões para dar continuidade às obras e essa conta será paga pelos próximos prefeitos, já que os empréstimos serão quitados a longo prazo.

No início do mês de dezembro do ano passado, a Câmara Municipal aprovou projeto que autorizou o novo empréstimo. Inicialmente prevista para ser entregue em 2013, a primeira etapa do Centro Administrativo só deverá ficar pronta no fim do ano, embora fosse desejo do prefeito fazer a inauguração dentro das comemorações do aniversário da cidade. 

 

 

 

Essa primeira etapa compreende a finalização do primeiro bloco, urbanização da área, iluminação e execução de obras para uma estação de tratamento de esgoto. Ainda nesta primeira etapa será concluída a construção de um auditório para 500 pessoas e a execução das obras no bloco sul.

Quanto à segunda etapa da obra, Vladimir Azevedo informa que as fundações já estão prontas, porém não tem estimativa de quando será efetivamente iniciada. “A segunda etapa será o próximo prefeito quem vai cuidar, mas já com R$ 100 mil a menos de custeio, já que parte da administração vai estar abrigada com a mudança de vários setores no ano que vem com a conclusão da primeira etapa. Isso quer dizer que o próximo prefeito já terá R$ 1,2 milhão ao ano que poderão ser investidos na sequência da obra”, finalizou.

 

 

 

ALUGUÉIS

Uma das despesas correntes que têm peso significativo na conta do município são os aluguéis de imóveis. Além da sede, localizada na Rua Pernambuco, a prefeitura ainda tem uma enorme lista de aluguéis que incluem unidades de saúde, telecentros, secretarias, residências para pessoas desalojadas, além de bancar o aluguel de algumas instituições dos governos estadual e federal. Essa é uma despesa que pesa no bolso do contribuinte e em 2015 atingiu a R$ 3,6 milhões, dos quais até dezembro haviam sido quitados R$ 2,7 milhões.

O Centro Administrativo vai representar uma boa economia com o gasto em locação de imóveis. Tão logo a primeira etapa esteja concluída, inicialmente serão transferidos todos os setores que atualmente funcionam no prédio da Rua Pernambuco e algumas pequenas secretarias. A Secretaria Municipal de Saúde, por exemplo, somente sairá do aluguel, após a conclusão da segunda etapa, quando toda a obra estará finalizada conforme prevê o projeto arquitetônico.

 

 

Vladimir Azevedo prevê economia mensal de até R$ 200 mil com aluguéis de imóveis, assim que for feita a mudança para a sede administrativa. “A obra é o grande presente que deixaremos para Divinópolis e tem vários significados. Um é a economia para o município, que deve chegar a R$ 200 mil de aluguel por mês, e com o dinheiro poderemos investir mais na cidade. Outro é que com o Centro Administrativo teremos melhor atendimento para a população, além de melhorar as condições de trabalho de servidores municipais. É nosso legado para as próximas gerações”, garantiu.    

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.