quarta-feira, 10 de Agosto de 2016 14:21h Pollyanna Martins

Prefeitura estuda desativar algumas cancelas ferroviárias

Prefeitura de Divinópolis estuda desativar algumas cancelas ferroviárias na cidade.

POR POLLYANNA MARTINS

pollyanna.martins@gazetaoeste.com.br

 

A denúncia foi feita por um servidor da Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (Settrans), que preferiu não se identificar, ao Portal Centro-Oeste. De acordo com o funcionário, serão desativadas as cancelas da Rua Mato Grosso, no Centro, e na Rua Itambé, no bairro Planalto. Ainda conforme o servidor, o serviço será desativado para contenção de gastos, uma vez que é mantido pelo Executivo.

Em entrevista ao Portal Centro-Oeste, o funcionário denunciou que, entre às 22h e às 6h, a cancela da Rua Mato Grosso quase não funciona, e questionou ainda como será feito o serviço, uma vez que o índice de acidentes pode aumentar com a desativação das cancelas. “Encerrar o serviço equivale a decretar acidentes por antecedência. Fica a pergunta: é válido redução de custo a qualquer preço, sabendo da iminência de acidentes ferroviários que podem levar a danos materiais ou até à morte de inocentes?”, indaga. As cancelas servem para alertar e bloquear a passagem de veículos enquanto o trem realiza a travessia. Apesar de já existirem as cancelas ferroviárias automáticas, no município, a ativação da cancela é feita pelo controlador.

A Prefeitura de Divinópolis informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que existe um estudo sobre as cancelas do município em parceria com a Valor da Logística Integrada (VLI). No entanto, sem prazo definido para conclusão. A assessoria não informou qual método será adotado, caso o serviço seja desativado, e se limitou a dizer que a suspensão está em estudo.

 

ACIDENTES

 

Em abril deste ano, dois acidentes envolvendo carro e trem em passagens de nível que não possuem cancela foram registrados em menos de três dias na cidade. O primeiro acidente foi no bairro Niterói, e o segundo no bairro São Roque. No primeiro acidente, o motorista contou que o carro apresentou problemas mecânicos, quando percebeu que o trem se aproximava. Ele saiu do veículo, que foi atingido pela locomotiva. O carro foi arrastado e ninguém ficou ferido.

Já o segundo acidente, de acordo com a Polícia Militar (PM), um homem, de 24 anos, a mulher dele, de 30 anos, e o filho dela, de 11 anos, estavam no carro. O condutor do veículo disse aos militares que, ao passar pelo cruzamento, não parou o veículo, e olhou apenas para o lado esquerdo e observou que a passagem estava livre, mas, ao olhar para a direita, já visualizou a locomotiva. De acordo com o homem, ele já estava iniciando a travessia, quando foi atingido, fazendo com que o carro capotasse. O homem sofreu um corte no dedo, a mulher sofreu cortes na cabeça e teve fratura no braço. Já a criança, feriu o dedo do pé. O veículo teve danos e foi liberado para o irmão do condutor.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.