segunda-feira, 6 de Abril de 2015 11:34h Atualizado em 6 de Abril de 2015 às 11:38h. Pollyanna Martins

Prefeitura fecha dois Cmei’s em Divinópolis

Os Cmei’s dos bairros Terra Azul e Santa Lúcia já foram notificados do fechamento

Após dois meses no início do ano letivo, funcionários de dois Centros Municipais de Educação Infantil (Cmei’s) foram avisados sobre o fechamento das unidades. As diretoras dos Cmei’s Maria Lúcia Gregório, do bairro Terra Azul, e Rafael Nunes, no bairro Santa Lúcia, foram notificadas da decisão em uma reunião com a Secretária Municipal de Educação, Rosemary Lasmar, nesta quarta-feira.
Segundo uma funcionária do Cmei Maria Lúcia Gregório, a Secretaria Municipal de Educação (Semed) deu o prazo de 30 dias para que as atividades no local sejam encerradas. O Cmei foi inaugurado em 2004 e tem atualmente 66 alunos.
Conforme a servidora, o Centro já atendeu em período integral, mas com o passar do tempo o serviço foi reformulado e passou a trabalhar em dois turnos. “O Cmei há onze anos faz um trabalho muito bacana. Desde 2011 que passou a atender em meio período, então os pais têm que escolher se o filho vai estudar de manhã ou de tarde. Então, para as mães poderem trabalhar fora o dia todo, o pastor da igreja aqui disponibilizou um espaço onde as crianças podem ficar um período do dia, porque aqui nós somos de famílias carentes, onde os pais dos alunos trabalham em empresas grandes da cidade o dia todo”, ressalta.
Ainda de acordo com a servidora, que trabalha no local há nove anos, a Secretaria Municipal informou que na próxima semana haverá uma reunião com os pais dos alunos para informar as causas do fechamento do centro. A funcionária afirma que já procurou saber as condições da escola para onde as crianças serão levadas, e os próprios trabalhadores da instituição revelaram que a estrutura é questionável.
“Ontem (1º) nós fomos avisados que o Cmei vai fechar. A diretora de lá chegou com essa notícia para gente. O que a Semed passou para a diretora é que as crianças serão transferidas para a Escola Antonieta Fonseca, que tem o 2º período, que é para as crianças de seis anos. Mas onde os meninos de 2 a 5 anos vão ficar? Eu fui à escola e conversei com uma funcionária de lá, que já avisou que lá só tem uma sala disponível, mas o espaço não é adequado para eles, ela ainda questionou onde que vai colocar esses meninos. O pessoal está muito resistente, ninguém quer”, conta a funcionária.

TRANSFERÊNCIA
A diretoria do Centro tem até o dia 8 de abril para avisar a todos os pais sobre o fechamento e a transferência das crianças para a Escola Municipal Antonieta Fonseca. Considerado como um bairro de alta criminalidade, os pais que já foram avisados sobre o fechamento do Centro não aceitaram a decisão.
A cabeleireira Joyce Priscila de Lima tem uma filha de três anos e conta que seu filho mais velho já estudou no Cmei e foi para a Escola Municipal Antonieta Fonseca, mas que o menino não se adaptou no local. Joyce trocou o filho de escola e por isso não pretende deixar a filha estudar no mesmo lugar.
“A minha menina eu consegui colocar no Cmei esse ano e a minha sobrinha está lá também. Nós trabalhamos e precisamos de um lugar para deixar as crianças. Foi um baque receber a notícia de que lá vai fechar, porque é uma necessidade que nós temos para trabalhar, sem contar o tanto que as crianças gostam. O meu filho estudou na Antonieta Fonseca, e eu o tirei de lá. Os problemas que eu tinha com ele lá, eu não tenho na escola que ele estuda. A minha filha eu não vou transferir para lá de jeito nenhum, a direção da escola é muito ruim. Nós vamos fazer abaixo assinado e o que for possível para que o Cmei não seja fechado. Não tem como deixar as crianças na escola, como que coloca criança no meio de adolescentes?”, questiona Joyce.

 

Cmei RAFAEL NUNES
O Cmei Rafael Nunes, no bairro Santa Lúcia, atende 80 crianças, que serão transferidas para as escolas municipais Evelina Greco e João Severino de Azevedo. A Semed informou que os alunos serão distribuídos de acordo com a região.
A Gazeta do Oeste tentou entrar em contato com pais e funcionários, porém não conseguiu retorno. O imóvel onde o Centro funciona é alugado pela Prefeitura.

 

OFICINA ITINERANTE
Além dos Cmei’s, o projeto Oficina Itinerante também teve seu fim anunciado. A oficina propiciava o planejamento coletivo dos professores e equipe pedagógica, enquanto as crianças vivenciavam experiências nas linguagens plástica, musical, corporal, oral e matemática para além das oferecidas cotidianamente pelo professor regente.
A equipe era composta por 14 professoras itinerantes que desenvolviam oficinas lúdicas em 40 unidades de ensino, atendendo cerca de 5 mil crianças na faixa etária de 2 a 5 anos, distribuídas em 270 turmas de Educação Infantil em Cmei’s e escolas. Nesta dinâmica, cerca de 340 professores eram contemplados com formação e planejamento in loco, recebendo assessoria pedagógica da equipe de supervisoras da Semed e da equipe pedagógica da escola.

 

PREFEITURA
A Prefeitura de Divinópolis, através de sua Assessoria de Imprensa, informou que haverá uma junção dos Cmei’s, pois há espaços ociosos nas escolas e as casas onde os Centros funcionam são alugadas. Com isto, a Prefeitura economizará em seu orçamento. Apesar de a casa que abriga o Cmei do bairro Terra Azul ser cedida através de comodato, a assessoria alegou que o Centro gera gastos.
Conforme a Prefeitura, todas as crianças serão transferidas para escolas municipais, assim como os servidores concursados. Serão dispensados os professores contratados.  A assessoria não soube informar o prazo para o encerramento das atividades e nem o número de funcionários que serão demitidos.

 

Crédito: Pollyanna Martins

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.