sexta-feira, 22 de Janeiro de 2016 08:58h Jotha Lee

Prefeitura prepara remodelação em todo o sistema de sinalização de trânsito

O trânsito de Divinópolis continua sendo um dos mais complicados de Minas Gerais e exige medidas efetivas para evitar os enormes transtornos e o crescimento do volume de acidentes

Com uma frota de 129.511 veículos em 31 de dezembro de 2015, conforme informa o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), a cidade vive os problemas das grandes metrópoles, com engarrafamentos e retenções a qualquer hora do dia, afetando as principais artérias da cidade. As ruas Goiás, Pernambuco, Paraná, 1º de Junho, Magalhães Pinto, JK, Bom Sucesso e Autorama são as que têm o maior volume de tráfego, com longos engarrafamentos, especialmente ao longo do dia.

 


A constatação das dificuldades no trânsito da cidade é feita pelo taxista José Eduardo Sousa, que trabalha há oito anos no ramo. “Difícil um horário durante o dia que não há trânsito lento na região central, nem mesmo no horário de menor movimento que é entre meio-dia e 14h”, afirma. “A gente tem que ter muita paciência”, acrescenta. A mesma opinião tem o motorista Alexandre Rogério. “Viajo para muitas cidades de Minas e de São Paulo e o pior trânsito é mesmo em Divinópolis, porque aqui todo mundo gosta de sair de carro”, opina.
A administração do prefeito Vladimir Azevedo tomou algumas medias na tentativa de melhorar o trânsito, mas os efeitos não foram os esperados. O corredor exclusivo para o transporte coletivo na região central foi um avanço. Melhorou a mobilidade para quem usa os ônibus, mas para o restante dos condutores não fez muita diferença. A onda verde, com os semáforos sincronizados, também significou uma melhora no fluxo de veículos.

 


SINALIZAÇÃO
Além da entrega do estacionamento rotativo para a iniciativa privada e contratação de uma empresa para gerenciar o tráfego urbano, medidas que estão previstas pelo governo mas que ainda não saíram do papel, a revitalização da sinalização é o próximo passo a ser tomado. Já está em andamento o processo licitatório que prevê a contratação de empresa especializada para manutenção e instalação de sinalização semafórica. Atualmente são 49 interseções controladas por sinalização eletrônica e esse número deverá aumentar, com instalação de novos semáforos nas ruas centrais, especialmente em cruzados de vias centrais, como Goiás, Pernambuco e Minas Gerais. Além disso, as lâmpadas incandescentes utilizadas nos grupos focais serão substituídas por lâmpadas de LED, que garantem melhor qualidade e maior economia de energia, além de ter a durabilidade triplicada.
A previsão da Prefeitura, que deve gastar R$ 2,8 milhões para toda a manutenção, reparos e instalação de novos equipamentos, era para iniciar o serviço no ano passado. Entretanto, em função de atraso no processo licitatório, somente em meados do primeiro semestre desse ano, a atividade deverá ser iniciada.

 


De acordo com a Secretaria de Trânsito e Transportes (Settrans), a implantação destes serviços decorre da necessidade de aprimoramento e continuidade da adoção de medidas preventivas que visam fundamentalmente à manutenção de um trânsito em condições mais seguras. Ainda segundo a Settrans, o município quer resolver os problemas no tráfego urbano com a maior urgência possível. “A prefeitura busca soluções consolidadas, já executadas ou em execução em outros municípios, a fim de não sofrer soluções de continuidade, em suas atividades de implantação de sinalização viária, por decorrência de falhas nos serviços que venham a lhes serem prestados, dando assim, também, ênfase à experiência da eventual prestadora dos serviços”, afirma.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.