sexta-feira, 10 de Abril de 2015 10:22h Atualizado em 10 de Abril de 2015 às 10:24h. Pollyanna Martins

Prefeitura recua após manifestações e mantém Cmei’s abertos

Decisão foi divulgada pelo secretário municipal de governo, Honor Caldas de Faria

Uma semana após comunicar para as diretoras dos Centros Municipais de Educação Infantil (Cmei) Maria Lúcia Gregório e Rafael Nunes o fechamento das unidades, a Prefeitura anunciou em uma coletiva de imprensa na manhã de ontem que os centros não serão fechados. A garantia é do secretário municipal de governo, Honor Caldas de Faria.
O secretário afirmou que o comunicado feito pela secretária municipal de educação, Rosemary Lasmar, e pelo secretário municipal adjunto de educação, João Renato às diretoras dos Cmei’s foi precipitado de ambas as partes. “Fizemos uma reunião com todos os secretários há um tempo com todo esse reflexo econômico-financeiro e solicitamos que eles fizessem um planejamento para possíveis reduções de despesas. Não houve nenhuma deliberação ainda. Qualquer atitude que foi tomada foi precipitada. O que a gente pode garantir para a população de Divinópolis é que os serviços serão mantidos com todos os nossos esforços. O que o prefeito determinou e passou para a gente é que os serviços essenciais da população serão mantidos a todo custo. Não haverá nenhum fechamento, de nenhuma unidade”, assegura.
Cerca de 150 crianças seriam transferidas para escolas municipais caso fosse aprovado o corte de aproximadamente R$ 8 milhões. Pais e professores relataram indignados durante a semana que as escolas não têm estrutura para receber as crianças de dois a cinco anos.
Segundo Honor, a proposta de fechamento dos Cmei’s foi apresentada pela Secretaria Municipal de Educação (Semed), mas não há nenhuma decisão definitiva. “Houve uma proposta encaminhada pela Secretária de Educação e nenhuma situação ainda foi deliberada pelo senhor prefeito. Nós estamos buscando ajustes e nós vamos fazer todo o possível para que todo o serviço da população seja mantido. Hoje não tem nenhum corte direcionado para a educação e para a saúde”, reforça.
Quanto ao fato de que alguns pais com medo de que seus filhos fiquem sem vaga na educação infantil da rede municipal, já matricularam as crianças em outros Cmei’s, o secretário solicita que não sejam tomadas mais atitudes que ele considera precipitadas. “Nós vamos ter que consertar isso, porque não houve nenhuma deliberação por parte do governo para que se fizesse nada. Não tem que tomar nenhuma decisão agora porque os Cmei’s não vão fechar. O que nós vamos buscar junto é fazer economia. Nesse momento, nenhuma proposta está autorizada a ser aplicada. Vamos manter os Cmei’s”, promete.

 

PROPOSTAS
O vereador Adilson Quadros, que é representante do executivo na Câmara Municipal, disse que esteve com a diretora do Cmei Maria Lucia Gregório, Gilmara Cordeiro Telles, no bairro Terra Azul, nessa quarta-feira, após a reunião com o secretário adjunto de educação, e que em uma tentativa de não fechar o Cmei a diretora apresentou uma proposta de redução de gastos de 55%.
“O Cmei desenvolve um trabalho muito bem feito, até porque é uma região de risco, mais carente e que carece de uma atenção maior. A diretora, com a equipe dela, está buscando uma redução de custos. Ela me apresentou uma redução com dados plausíveis de 55% de gastos”, adianta Adilson.

 

TRANSPORTE
Na planilha da proposta de corte de gastos apresentada pela secretária de educação e mostrada com exclusividade pela Gazeta do Oeste estava incluído o encerramento do contrato de transporte escolar para deficientes, e a rescisão do convênio de transporte escolar com o Estado. De acordo com Honor, estes pontos serão revistos.
“Hoje o município está assumindo despesas que são do governo federal e do governo estadual. O transporte seria, na responsabilidade constitucional, dos governos federal e estadual, mas isso não vai ser cortado. Essa planilha foi elaborada pelos secretários. Vai cortar? Não vai”, afirma o secretário.

 

Crédito: Pollyanna Martins

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.