sexta-feira, 22 de Janeiro de 2016 08:54h Mariana Gonçalves

Prefeitura suspende atividades do Teatro Usina Gravatá para reforma

A Prefeitura de Divinópolis, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, antecipou a troca de todo o telhado do Teatro Municipal Usina Gravatá, devido às recentes chuvas no município

Em nota enviada à imprensa, a Secretaria destaca que a chaminé do imóvel, tombado pelo Conselho Municipal do Patrimônio Histórico Artístico e Paisagístico (Comphap), também passará por reparos. Além disso, as calhas serão substituídas por outras maiores.
A reforma de substituição das telhas deverá começar nos próximos dias. A Prefeitura disse também que a previsão inicial para o término da troca do telhado e a volta dos espetáculos é para o dia 30 de abril. Nossa equipe de reportagem solicitou da assessoria de comunicação da Prefeitura o agendamento de uma entrevista com o secretário Bernardo Rodrigues, responsável pela pasta, no entanto, fomos informados pela assessoria que, no momento, a Secretaria só iria se pronunciar por meio da nota enviada (a qual mencionamos no início deste texto).
Nossa reportagem questionou a assessoria como ficará a situação dos espetáculos e apresentações já agendadas para o Gravatá. Segundo eles nos informaram, essa questão de agenda está sendo revista de forma individual, com todos aqueles que tinham apresentações marcadas para esse início de ano.

 

 


FIQUE POR DENTRO

O prédio do Teatro Usina do Gravatá foi construído em 1932. Na década de 30, foi criada a Usina de Álcool Motor de Mandioca do Estado de Minas Gerais, a primeira do gênero na América Latina: uma evolução. Já nos anos 50, a usina passou a pertencer à Companhia Agrícola de Minas Gerais (Camig) e virou um depósito. Depois de um tempo abandonado, o prédio da usina foi tombado pelo patrimônio histórico e passou por uma restauração.
Depois de dez anos de reformas, as portas da Usina Gravatá se abriram novamente, mas dessa vez, para cumprir um novo papel: o de ser um dos mais importantes pontos culturais de Divinópolis. Um espaço para diferentes manifestações culturais.
Um outro prédio forma, junto com o espaço principal, o Complexo Cultural do Gravatá. Lá funciona a Escola Municipal de Música, onde mais de 500 alunos estudam gratuitamente. É uma oportunidade única para adolescentes.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.