sexta-feira, 12 de Fevereiro de 2016 09:09h Jotha Lee

Presidente da Câmara reafirma que tomará medidas impactantes de contenção de gastos

Bispo critica privatizações de serviços públicos e cobra plano de saneamento básico

A Câmara Municipal realizou ontem a primeira reunião ordinária após o recesso de carnaval. Com apenas dois projetos na pauta, o destaque foi a presença do bispo diocesano Dom José Carlos de Sousa, que ocupou a tribuna livre para apresentar aos vereadores a 52ª Campanha da Fraternidade, que esse ano vem com o tema “Casa Comum, Nossa Responsabilidade”.
Em seu pronunciamento, o bispo lembrou que o tema envolve todos os recursos utilizados no planeta como água potável, saneamento básico, reciclagem de lixo e captação de água da chuva.  “Estamos num mesmo planeta, ou seja, numa ‘Casa Comum’ e usufruímos de um mesmo espaço, no entanto é mais do que nossa responsabilidade cuidar dele”, afirmou.

 

 


Dom José fez vários questionamentos aos vereadores e cobrou a elaboração de um Plano Municipal de Saneamento Básico, além de questionar o destino de recursos federais para aplicação nos municípios. O bispo foi severo ao afirmar que dezenas de bairros da cidade ainda convivem com esgoto a céu aberto, ao lembrar de forma indireta, que o tratamento do esgoto, cuja concessão foi entregue à Copasa em 2011, ainda não saiu do papel. O bispo disse que é preciso ter cuidado com essas privatizações de serviços que são de responsabilidade do poder público, pois muitas vezes elas custam caro e não trazem os resultados esperados. “Temos que ter cuidado com essas privatizações que custam milhões aos cofres públicos e acabam deixando a desejar na prestação de serviço”, criticou.

 


MEDIDAS
Em seu pronunciamento, o presidente da Câmara Municipal, Rodrigo Vasconcelos de Almeida Kaboja (PSL), se utilizando de palavras da poeta Cecília Meireles, lembrou que com o fim do carnaval, o Legislativo volta à sua realidade.  “Acabou-se o artifício, desmanchou-se a mágica, volta-se a realidade. Voltamos à nossa realidade e começamos pra valer o ano de 2016”, destacou.

 


Rodrigo Kaboja reafirmou as declarações que deu ao Jornal Gazeta do Oeste e publicadas em reportagem que circulou na edição do dia 2 deste mês, quando anunciou que adotará medidas duras de contenção de gastos. Em seu pronunciamento ontem, ele reafirmou que 2016 será um ano de muitas dificuldades. “Crise econômica, volta da inflação, aumento do índice de desemprego, retração dos investimentos, dificuldades dos municípios em fechar suas contas, são os problemas que enfrentamos nesse início de ano”, discursou.

 


Para o presidente da Câmara, as tendências indicam que essas dificuldades podem se agravar ao logo do ano. “Estamos cientes das dificuldades e sabemos que teremos que implementar um rigoroso controle nos gastos. Os repasses diminuíram e isso nos obriga a adotar medidas mais impactantes para conseguirmos fechar a legislatura dentro dos limites exigidos pela Lei de Responsabilidade Fiscal”, assegurou. Ao finalizar, seu pronunciamento, Kaboja garantiu que o Legislativo dará sua contribuição, para que o município possa atravessar essa crise.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.