quinta-feira, 4 de Junho de 2015 10:32h Atualizado em 4 de Junho de 2015 às 10:43h. Bruna Costa

“Primeiros Passos”, publicação independente de poetas mineiros, é lançada em Divinópolis

O lançamento do livro “Primeiros Passos”, dos poetas mineiros Júlio Assis e Arnaldo Júnior, reuniu ontem, na faculdade Pitágoras, alunos e professores de psicologia em roda de conversa sobre “Psicologia e Literatura”

O livro é uma produção independente com tiragem inicial de 600 exemplares e representa a dedicação e trajetória dos poetas com a poesia e a palavra.
O livro “Primeiros Passos” é uma compilação de poesias dos poetas e a ideia de publicá-lo “surgiu em conversas de boteco”, brinca Júlio. Os dois amigos juntaram seus acervos poéticos pessoais e escolheram poesias que expressam um pouco da trajetória de cada um. Segundo Arnaldo, foi um encontro, não um livro escrito juntos, mas um encontro que trouxe o que cada um tinha a oferecer. Dessas conversas foi se formando e, enfim, nasceu a obra.
“É uma ousadia, publicar é sempre uma ousadia, publicar poemas é mais ousadia ainda, mas uma ousadia necessária”, declara Arnaldo. O lançamento oficial foi na última terça-feira, na Boutique do Livro e, além do evento na Faculdade Pitágoras, o livro será lançado também em Luz, cidade natal de Arnaldo. O lançamento ocorre no dia 5 de junho, às 19h, no Centro Cultural Maestro José Botinha Maciel – localizado na Rua Coronel José Thomás, nº 105, Centro.
De acordo com Júlio, a poesia é algo que nos liberta e transforma. É onde expressamos nossos sentimentos, angústias e visões de mundo. “Fico feliz de ter pessoas participando disso e saber que essas pessoas também são parte das nossas poesias. Porque a vida é uma poesia constante, a vida é uma poesia que se constrói todo dia”, ressalta.
Psicologia e Literatura
O encontro foi aberto com declamações dos poetas e, em seguida, apresentação da música Gita de Raul Seixas, interpretada pelo aluno Erick Barbosa. A professora Claudia Leite abriu o diálogo com uma fala sobre “Psicologia como arte da palavra”. Depois o escritor Jonas Vieira, com “O cotidiano em palavras”, seguido do também escritor Gercino Gomes com o tema “A palavra, laço que une?!”. Teve a presença da poetisa convidada, Rafaela Lopes, com o tema “A palavra (é) janela da alma” e dos escritores do livro Primeiros Passos, Júlio Assis e Arnaldo Júnior com os temas “A palavra como liberta-ação” e “O poeta como guardião das metamorfoses”, respectivamente. 
Para Arnaldo, o poeta é aquele que consegue ver, contempla e anuncia a mudança que é a nossa condição humana, psicológica e social. Assim, os escritores e convidados enlaçaram os temas de suas publicações à ideia central de perceber a psicologia como arte humana da palavra. “A arte da palavra é a arte da escuta e a arte da escrita. A escrita é essa marca que se deixa no mundo”, explica a professora Claudia Leite.

 


Crédito: Bruna Costa

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.