quarta-feira, 17 de Outubro de 2012 10:57h Mariana Gonçalves

Produtos industrializados no mercado são fiscalizados pela ANVISA

Em recente pesquisa realizada pela ANVISA, constatou-se que apenas 20% dos produtos de grupos de alimentos comercializados hoje no mercado está com quantidades aceitáveis de sódio.

 


O trabalho foi feito com base na análise de 26 tipos de produtos como bolachas e frios. Dos grupos analisados, apenas cinco apresentaram níveis dos ingredientes considerados adequados.

 


Dois produtos que chamaram a atenção, por ter sido encontrado um valor elevado de sódio, foram o queijo parmesão ralado, com uma média de 1.981 miligramas por 100 gramas do produto, em seguida  o macarrão instantâneo, com 1.798 miligramas por 100 gramas do produto.

 


O macarrão, assim como bolachas e salgados de milho, integram o programa de redução de sódio de produtos processados no País, feito pelo Ministério da Saúde e Associação Brasileira de Indústrias de Alimentação. O acordo, anunciado em 2011, prevê a retirada gradual do sódio de alimentos processados. Até agora foram anunciadas reduções para 13 classes de alimentos, a meta é retirar até 20 mil toneladas de sódio até 2020.

 


Para a nutricionista Especialista em Nutrição e Saúde da UFV, Jeannine Carla Antunes Oliveira “o sódio é uma substância essencial ao organismo humano, porém em quantidades adequadas. Em quantidades exageradas será muito prejudicial à saúde causando aos indivíduos problemas como; retenção de líquido (inchaço principalmente em mulheres), hipertensão, doenças cardiovasculares, disfunções renais”conta.

 


Ainda segundo a nutricionista, a quantidade recomendada de sal para adultos é de 6g por dia (2,4g de sódio por dia), sendo que 4g (equivalentes a quatro colheres de café rasa de sal – para preparação dos alimentos) e 2g já contidos nos próprios alimentos.
A rotina de vida de muitas pessoas hoje em dia, é bastante corrida, por isso a ingestão de alimentos congelados industrializados e alimentos propriamente fabricados com conservantes artificiais fazem com que a saúde se desgaste bastante. Porém uma alimentação adequada depende primeiramente da pessoa fazer o seu horário de alimentação. A recomendação dos médicos é que pelo menos de 3 em 3 horas a pessoa se alimente. Isso quer dizer uma alimentação baseada nos grupos que contém proteínas e carboidratos na medida certa e não os produtos industrializados, embora sejam rápidos e práticos.

 


Para Jeannine Carla, se planejarmos bem o nosso dia, certamente conseguiremos obter melhores opções alimentares. Mas, vale anotar as dicas como: eliminar o saleiro de mesa; reduzir consumo diário de alimentos enlatados, embutidos, em conservas, frios, sopas, massas, molhos e temperos prontos e salgadinhos. Ainda vale lembrar que deve haver uma associação da diminuição de alimentos com alto teor de sódio com aumento da ingestão de alimentos ricos em potássio como frutas e hortaliças que irá promover uma melhor eliminação de sódio no organismo.

 


A Organização Mundial de Saúde, OMS, constatou que os problemas de hipertensão e diabetes aumentaram consideravelmente de três anos para cá, devido ao aumento do consumo do sódio.

 


Ainda segundo a OMS, o brasileiro consome 12 gramas de sal por dia, mais do que o dobro do recomendado pela agência de saúde.

 


Uma dica importante aos consumidores, conforme diz Jeannine, é prestar atenção na hora de comprar esses produtos.

 

O rótulo apresentado principalmente em produtos industrializados é um bom indicador de valor nutricional dos alimentos, apesar de ser muito criticado sobre a credibilidade de alguns rótulos. No caso do sal, usa-se o termo sódio nos rótulos e pode-se considerar que um alimento é pobre em sódio quando ele apresenta um valor menor que 140mg ou 5% do valor diário. Valores acima dos descritos são considerados altos.

 

SÓDIO PARA CRIANÇAS

 

É principalmente na infância que a alimentação deve seguir sérios padrões de qualidade. A ingestão exagerada de produtos industrializados por crianças, além da obesidade pode levar a sérios danos na saúde, quando essa criança chegar à fase adulta. Para cada idade, existe uma quantidade certa de produtos que contenham sódio. “Por exemplo: crianças entre 1 a 8 anos a ingestão recomendada de sódio é de até 1100mg por dia”afirma a nutricionista.

 


E válido alertar para que todas as pessoas devem estar atentas ao que ingerem “Procure uma melhor qualidade de vida hoje. O tempo passa muito rápido e pode ser que amanhã não dê tempo de corrigir os hábitos alimentares” finaliza a nutricionista  Jeannine Carla Antunes.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.