quinta-feira, 3 de Dezembro de 2015 08:57h Atualizado em 3 de Dezembro de 2015 às 08:58h. Mariana Gonçalves

Profissionais da Clínica Bento Menni iniciam mobilização em prol da saúde

‘Luto pela Saúde!’, esse é o slogan do movimento em prol da saúde, iniciado pelos profissionais do Centro Integral de Saúde São Bento Menni, em Divinópolis, na tarde de ontem

O movimento será estendido durante todo esse mês de dezembro, e tem o intuito de demonstrar, em forma de “luto”, o descontentamento dos funcionários e usuários do serviço, devido a cortes e reduções aplicados pelo Governo Federal nas instituições filantrópicas do Estado.
Com balões pretos, e trajes na cor preta, que caracteriza o luto, os profissionais se organizaram em frente à instituição para um abraço simbólico. Uma forma de pedir atenção, para o serviço e seus problemas.
Conforme o diretor gerente do Bento Menni, Wallace Augusto de Almeida, o movimento foi iniciado por meio da Federação das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos de Minas Gerais (Federassantas) e de hospitais filantrópicos do Estado, principalmente para sensibilizar e chamar a atenção do Governo e da população para o momento deliciado em que a saúde do país, como um todo, enfrenta. “Pensando num sub-financiamento do sistema, onde, em outubro, tivemos um encontro dos hospitais filantrópicos na Federassantas, e de lá para cá, diante de uma informação que até o repasse de dezembro do Sistema Único de Saúde (SUS) seria parcelado, então, nesse sentido já começamos a organizar esse movimento para mostrar a sociedade o que está acontecendo”, informou o diretor.
O movimento pretende protestar quanto ao parcelamento dos repasses dos recursos federais aos Municípios e Estados, referente ao mês de Dezembro de 2015: 50% do teto Média e Alta Complexidade no dia 10 de dezembro de 2015 e 50% restantes em 02 de janeiro de 2016.
Tal decisão do Ministério da Saúde é justificada por sua insuficiência orçamentária, o que está gerando riscos de fechamento de muitas Instituições Filantrópicas.

 

NÃO HAVERÁ GREVE

Wallace disse que essa mobilização não tem intenção de paralisar as atividades da clínica, no entanto, é um chamado à sociedade para se discutir os problemas que o serviço enfrenta, levando em consideração, principalmente, a sua importância para a população. “Não faremos paralisação, porque o hospital não pode parar, o paciente não pode ser prejudicado, a população não pode ser prejudicada. Queremos mesmo é que a importância da saúde seja vista, e que essa falta de assistência que passamos – no sentido de recursos financeiros e custeio, que coloca a gestão dos hospitais filantrópicos de Minas e do Brasil numa intranquilidade – seja revista”, afirma.

 

MAIS DE CINQUENTA MUNICÍPIOS

De acordo com Wallace, o Bento Menni atende 57 municípios da Região Centro-Oeste do Estado.
A clínica foi fundada em 1980 para prestar assistência aos portadores de transtornos mentais da região e cidades adjacentes de ambos os sexos, tanto no atendimento de urgência, como no ambulatorial, hospital dia e internação.
O projeto terapêutico conduz a prática assistencial e garante que o trabalho desenvolvido pela equipe agregue o carisma hospitaleiro das irmãs, com a eficiência profissional. E tem como finalidade trabalhar de forma global a cidadania, visando à reinserção social do portador de transtorno mental ao seu meio, bem como a reestruturação do suporte sociofamiliar.
O ambiente conta com 137 leitos, apartamentos, enfermarias de até 3 leitos, salas de terapia ocupacional, oficinas de trabalhos manuais, sala para atendimento e orientação às famílias, salas para Terapias Individuais e em Grupos, salas de TV, auditório, telão e quadra Poliesportiva.

 

Créditos: Mariana Gonçalves

Leia Também

Imagem principal

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.