sexta-feira, 31 de Julho de 2015 10:31h Atualizado em 31 de Julho de 2015 às 10:35h. Mariana Gonçalves

Projeto Resgate Cultural será apresentado hoje pelos integrantes do Centro de Convivência do Idoso

A Secretaria de Desenvolvimento Social (Semds), por meio do Centro de Convivência do Idoso, promove hoje, na sede do Sest/Senat – Capit, as apresentações do Resgate Cultural

O principal objetivo é valorizar a cultura brasileira e permitir que os idosos busquem no tempo ações que fizeram parte de sua vida cotidiana e hoje estão esquecidas. Durante o evento, serão apresentados diversos de tipos de dança, como ventre, peneira, arco e catupé.

Segundo explica a coordenadora do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, Maria Aparecida de Faria, popularmente conhecida por Cidinha Faria, o governo federal propõe ações as quais são mensalmente enviadas aos gestores dos serviços de convivência e fortalecimento de vínculos, para que sejam trabalhados com os idosos. São variados temas denominados de percurso. Para este mês, o governo escolheu trabalhar com o Resgate Cultural.

“Levamos a temática pelo período de um mês, daí escolhemos o último dia do mês para que a gente trabalhe o tema em forma de teatro e dança. Por exemplo, este mês estamos com o tema Resgate Cultural, trabalhamos com os idosos o contexto teórico desse assunto e desde ontem estamos fazendo a parte prática. Então tivemos apresentação de um teatro em que a encenação era uma fazenda de senhores do engenho e ali fora mostrada como era a vida dessas pessoas até os dias de hoje”, explica.

O projeto ainda resgatou brincadeiras, como pular corda, amarelinha, jogar mariquinha, entre outras. “Esse trabalho foi feito na presença das famílias, então teve idosos que trouxeram seus filhos e netos e eles puderam ver como eram as brincadeiras antigas. Brincadeiras que os próprios idosos faziam, porque naquela época não tinha internet e muito menos brinquedos sofisticados”, acrescenta Cidinha.

 

INTEGRAÇÃO

Atividades como essa, além de culturalmente fazerem bem aos participantes, trazem ainda o estímulo de vida que muitos idosos no decorrer do processo de envelhecimento acabam por perder como, por exemplo, sua própria autonomia, segundo destaca Cidinha.  “Eles é que criam as peças e fazem a montagem do cenário. Com isso, estamos resgatando a autonomia do idoso, o poder de decisão, porque eles é quem decidem o que irão fazer e como irão fazer, nós ficamos apenas com o suporte técnico.”

Para participar das ações e trabalhos propostos pelo serviço de Convivência do Idoso, os idosos de ambos os sexos, com idade acima de 60 anos, precisam fazer o Cadastro Único na Semds – localizada no Bairro Esplanada, próximo à linha férrea.

As atividades são gratuitas e oferecidas de segunda a quinta-feira, das 8h às 15h. No ato de inscrição, o idoso deve levar carteira de identidade, comprovante de endereço e duas fotos 3x4.

 

PARCERIA

“Gostaria de destacar a parceria do Sest/Senat com a Prefeitura de Divinópolis, porque aqui temos um contrato de comodato, em que o Sest nos concede uma parte  do espaço físico aqui na unidade sem  nenhum custo e, em contrapartida, a Prefeitura entra com o pagamento do salário dos funcionários e faz também a manutenção do grupo com a alimentação, porque aqui servimos café da manhã, almoço e café da tarde. Acho isso importante, porque creio que na cidade esse é o único grupo que funciona dessa forma, sistematizado, com uma equipe de profissionais formados e preparados. Porque é preciso fornecer todo um suporte para os idosos, resgatamos a sua autonomia, a sua cidadania, fora outros aspectos”, encerra Cidinha.


Crédito: Mariana Gonçalves

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.