quarta-feira, 5 de Agosto de 2015 09:48h Atualizado em 5 de Agosto de 2015 às 09:50h. Pollyanna Martins

Publicitário divinopolitano faz sucesso como modelo na Bolívia

Igson Ferreira mora no país há dois anos e ingressou na carreira de modelo e ator

Quando Igson Ferreira foi para a Bolívia para estudar, mal imaginava que os ventos do destino soprariam para que ele ingressasse no mundo da moda. O divinopolitano de 30 anos é formado em Publicidade e Propaganda, e após dez anos no mercado de trabalho de Divinópolis, resolveu ir para a Bolívia, para buscar novos rumos. Foi em uma academia, na cidade de Santa Cruz de La Sierra que Igson foi encontrado pelo diretor de cinema, Rodrigo Bellot.
Após este encontro, o divinopolitano estrelou duas campanhas publicitárias: uma para o Banco Nacional da Bolívia e outra para a Unicef. O sucesso veio mesmo, depois que Igson foi convidado para trabalhar na peça de teatro “Tu me manques”.  “A obra do Rodrigo impactou muito a sociedade boliviana, porque é um drama que fala sobre conflitos de gerações. Existem dois personagens, em que um é um pai de 60 anos, e um filho que suicidou, e existe um amigo dele por trás da história, que dialoga com o pai explicando o porquê que o filho havia suicidado”, detalha.
Igson representa um paradoxo entre o personagem do amigo e do filho que suicidou. “Em alguns momentos, eu estou representando este amigo, e em outros, eu estou fazendo flash back de situações que o filho viveu”, explica. Como a peça conflita com a realidade cultural boliviana, ganhou então destaque na mídia do país e a projeção do modelo foi maior. Segundo Igson, a peça, que começou em abril, já teve duas temporadas.
As apresentações coincidiram com o Festival Internacional de Teatro da Bolívia, onde grupos do Uruguai, Argentina, Brasil, Estados Unidos e outros países se apresentavam, e foi garantia de casa cheia. “Por incrível que pareça, nós abrimos a bilheteria e duas horas depois já haviam esgotado todas as entradas. A gente estava trabalhando no festival junto com grupos de 20 anos de estrada”, conta. A segunda temporada da peça, que começou em junho, movimentou cerca de seis mil pessoas. O sucesso foi tão grande, que a peça será apresentada no Chile e na Argentina. “A gente têm o projeto de continuar com a peça, e o Rodrigo me disse essa semana que está afinando um projeto de nos apresentarmos no Chile e na Argentina”, revela.

 

SER LIVRE
O publicitário não tem nenhum curso de interpretação, mas conta que houve todo um preparo e adaptação para o novo estilo de vida. Para Igson, quem quer ingressar na carreira de modelo e/ou ator, o primeiro passo é ser desapegado, pois cada dia está em um lugar. “É uma área muito interessante para quem quer conhecer lugares novos, para quem não tem apego, porque você tem que viajar, você não tem um ponto fixo. A primeira coisa é a pessoa ter o espírito livre, e ter este lado cênico também, porque todos que estão no meio da modelagem caem um pouco para o lado do ator. Você se despe da sua personalidade para poder representar tudo o que a marca que te contratou quer que você represente”, conclui.

 

Credito: Reprodução

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.