quinta-feira, 11 de Fevereiro de 2016 09:33h Pollyanna Martins

Quaresma inicia com peixe 20% mais caro

Apesar de a procura aumentar na época, empresário afirma que a procura ainda é baixa.

A Quaresma mal chegou e o consumidor já sente no bolso o aumento do peixe e dos ovos. No período de 40 dias que antecedem a principal celebração do cristianismo, a Páscoa - entre a quarta-feira de cinzas e o sábado de aleluia - os cristãos católicos se preparam, respeitando algumas tradições, para a celebração da ressurreição de Jesus. Entre as tradições, está não comer carne vermelha. Por isso, o peixe, os ovos e o bacalhau entram no cardápio dos católicos, mas, quem vai seguir à risca a tradição deve preparar o bolso, pois o peixe esse ano teve um aumento que varia entre 15% e 20%.

 


De acordo com o dono de uma peixaria em Divinópolis, José Eustáquio Leite, o aumento se deve à baixa da pesca este ano. O empresário explica que o valor do combustível para abastecer o barco de pesca está alto, e os pescadores voltam com menos da metade do valor abastecido, em peixes para serem vendidos. “Os peixes do norte, que são o Cascudo, Dourado, Piramutaba, Surubim, e o Gurijuba são os mais consumidos aqui e estão em falta. Esses peixes já não acham com tanta abundância como antigamente”, esclarece. Apesar de a procura por peixes aumentar nesta época do ano, o empresário afirma que o movimento caiu em relação ao ano passado. “A procura está menor do que o ano passado. Está difícil, como está para todo mundo”, lamenta.

 


O bacalhau saithe pode ser encontrado de R$ 22,11 até R$ 44,80, o que mostra uma variação de 102%. O bacalhau porto imperial custa entre R$ 47,41 e R$ 79,90. Já o porto ling, pode ser comprado por R$ 38,34 e R$ 39,90. Outro item que pesará no bolso do consumidor que seguir à risca a tradição da quaresma é o ovo. A dúzia dos ovos brancos, que antes era vendida por R$2,99, hoje é encontrada de R$ 4,49 até R$ 5,50; já a dúzia dos ovos caipiras, é encontrada a R$ 6. Os preços variam 14,84% a 23,92%, de acordo com o estabelecimento. Para não ficar no prejuízo, o segredo é pesquisar.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.