terça-feira, 20 de Outubro de 2015 09:04h Atualizado em 20 de Outubro de 2015 às 09:06h. Rafael Camargos

Relatório da Semusa confirma bactéria em refeições do HSJD

No mês passado, cerca de 70 funcionários do Hospital São João de Deus (HSJD) foram diagnosticados com intoxicação alimentar

A Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), por meio de sua Diretoria de Vigilância em Saúde, divulgou o laudo contendo a análise dos alimentos servidos aos funcionários do Hospital São João de Deus (HSJD), no mês de setembro.
De acordo com o relatório da Diretoria de Vigilância em Saúde, o resultado da análise dos alimentos, realizado na Fundação Ezequiel Dias (Funed), em Belo Horizonte, apontou a presença de uma bactéria chamada Salmonella no feijão tropeiro que foi servido na refeição daquele dia.
Ainda segundo a Semusa, quando o surto de intoxicação aconteceu, foi lavrado um laudo de vistoria no local, para que fossem corrigidas as irregularidades em 30 dias, além de um termo de intimação para a instituição providenciar condições adequadas de higienização das mãos e limpeza do piso no prazo de 48h.
Também foi realizada uma reunião com representantes, nutricionista e responsáveis pela hotelaria e limpeza do hospital, para que fossem repassadas orientações de higiene.
O hospital se comprometeu a apresentar para a Semusa um projeto arquitetônico, no prazo de 30 dias. Durante este período, o HSJD terá que intensificar a higienização do local, das mãos e melhorar fluxos de produção das refeições, evitando, assim, a contaminação cruzada dos alimentos e outros.
Procurada pela nossa reportagem, a Assessoria de Comunicação do Hospital disse que serão realizadas reuniões entre os órgãos responsáveis, porém, a mesma não nos forneceu mais detalhes sobre o assunto. 

 

RELEMBRE O CASO

No dia 17 do mês passado, em 36 horas, cerca de 70 funcionários do Hospital São João de Deus (HSJD) foram diagnosticados com intoxicação alimentar, entre os sintomas apresentados estavam: diarreia liquida, fétida, dores no corpo e vômitos. No dia do ocorrido, todos eles foram dispensados da jornada de trabalho.
Na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Divinópolis, no dia 14, cinco pessoas apresentaram sintomas de intoxicação alimentar, sendo três enfermeiros e dois médicos que almoçaram na terça-feira no hospital.

 

A BACTÉRIA

A Salmonella, também conhecida como febre tifoide, surge normalmente após a ingestão de alimentos contaminados com fezes, como ovos ou carne mal cozida.
Dentre os sintomas causados pela contaminação, estão: Náuseas e vômitos por mais de 24 horas, diarreia intensa por mais de três dias, febre acima de 38°C e arrepios, sangue nas fezes, dor de barriga e dor de cabeça.
Estes sintomas são semelhantes aos de uma infecção do intestino, e podem surgir em até três dias após o consumo do alimento contaminado, e permanecem por cerca de cinco a sete dias, até a completa recuperação do paciente.
Estes sintomas podem variar de intensidade, dependendo da quantidade de alimento contaminado ingerido ou da quantidade de bactéria ingerida.
Porém, sempre que existe suspeita de infecção por Salmonella é recomendado consultar um gastroenterologista para fazer o diagnóstico do problema e iniciar o tratamento com o antibiótico adequado.
Para evitar a contaminação por Salmonella, é importante cozer adequadamente os alimentos e lavar as mãos antes de preparar qualquer tipo de alimento e após utilizar o banheiro, impedindo o crescimento e desenvolvimento de bactérias.
 

 

Créditos: Rafael Camargos

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.